Me sinto vibrante, mas meu corpo não consegue acompanhar a vida

Não sei quando começou. Já tive que tirar uma glândula salivar. Tenho LER ( Lesão por esforço repetitivo) em ambos os pulsos. Sou esterotomizada desde os 50 anos, inclusive tirei os ovários. Tenho nódulos sossegados na tireoide, não tomo remédios.

Tomo remédios para o coração e taquicardia. Cada sintoma foi chegando aos poucos e eu sendo tratada por vários médicos. Tenho fibromialgia há uns dez anos. Há uns cinco anos fui diagnosticada com Síndrome de Sjögren.

Já passei por pelo menos 5 reumatologistas. Não tenho febre reumatoide, tenho artrose nas mãos, joelhos e tornozelos. Sinto dores constantes em todo o corpo. Durmo mal e tomo muitos remédios. Alguns eu tomo para aliviar o efeito dos outros.

Tenho esteatose hepática medicamentosa há 22 anos, quando descobri através de um exame de imagem, ultrassonografia abdominal. Fiquei diabética por conta do fígado. Fico triste, pois tinha as dores, mas trabalhava.

Me aposentei e não posso viver meus sonhos. Os remédios consomem grande parte do salário, quando nos aposentamos perdemos uma parte do mesmo. Nem sempre meus amigos e familiares compreendem minhas limitações.

Me sinto vibrante, mas meu corpo não consegue acompanhar a vida que pulsa em mim. Bem, pelo menos ainda posso beber bastante água e sucos de frutas. A vida é uma roda gigante. Meu nome é Maria.

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, preencha o formulário no link http://ow.ly/gGra50nFGJp

Doe a sua história!

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));