Maio Roxo: Campanha conscientiza sobre doenças inflamatórias intestinais

Atendendo a uma solicitação da Associação dos Portadores de Doença de Crohn e Retocolite do Norte e Nordeste do Brasil (Acronn-BR), o Palácio de Karnak ganha iluminação roxa até o dia 15 de maio. O grupo existe há 11 anos em Teresina, reúne-se uma vez ao mês e conta com, aproximadamente, 400 associados que lutam por melhores condições de saúde.

De acordo com a Organização Não Governamental Acronn-BR, a ideia da iluminação roxa de prédios como a sede do governo estadual é chamar a atenção da sociedade para a promoção de maior conscientização e melhoria da qualidade de vida dos portadores de doenças inflamatórias intestinais.

Doença de Crohn

Trata-se de uma doença inflamatória séria do trato gastrointestinal. Ela afeta predominantemente a parte inferior do intestino delgado (íleo) e intestino grosso (cólon), mas pode afetar qualquer parte do trato gastrointestinal.

A doença de Crohn habitualmente causa diarreia, cólica abdominal, às vezes febre, e sangramento retal. Também pode ocorrer perda de apetite e de peso, subsequente. Os sintomas podem variar de leve à grave, mas em geral, as pessoas com doença de Crohn podem ter vida ativa e produtiva.

A doença de Crohn é crônica. Não se sabe qual é a sua causa. Os medicamentos disponíveis atualmente reduzem a inflamação e habitualmente controlam os sintomas, mas não curam a doença.

Como a doença de Crohn se comporta como a colite ulcerativa (às vezes é difícil diferenciar uma da outra), as duas doenças são agrupadas na categoria de doenças inflamatórias intestinais (DII). Diferentemente da doença de Crohn, em que todas as camadas estão envolvidas e na qual pode haver segmentos de intestino saudável, normal, entre os segmentos do intestino doente, a colite ulcerativa afeta apenas a camada mais superficial (mucosa) do cólon, e de modo contínuo.

Dependendo da região afetada, a doença de Crohn era chamada de ileite, enterite regional ou colite, etc. Para reduzir a confusão, o termo doença de Crohn foi usado, para identificar a doença, qualquer que seja a região do corpo afetada (íleo, cólon, reto, ânus, estômago, duodeno, etc.). Ela é chamada doença de Crohn, porque Burril B. Crohn foi o primeiro nome de um artigo de três autores, publicado em 1932, que descreveu a doença.

Fonte: Cidade Verde

Anúncios

Comentário

comentários

Olá, participe da conversa, deixe o seu comentário.