Laser e ultrassom conjugados combatem dores da fibromialgia

Luz e som contra a dor

Pesquisadores do Instituto de Física da USP em São Carlos (SP) desenvolveram uma nova tecnologia promissora para o tratamento de uma condição altamente debilitante: a fibromialgia, uma dor crônica espalhada pelo corpo e sem nenhuma opção de tratamento definitivo até agora.

A técnica consiste na conjugação do uso do laser e do ultrassom, que normalmente são usados como terapias independentes.

A grande novidade, contudo, é que a aplicação simultânea dos tratamentos óptico e acústico não é feita nos pontos de dor, mas nas palmas das mãos.

Em um teste inicial, a equipe confirmou o desaparecimento das dores que acometiam 15 regiões do corpo de uma voluntária com fibromialgia.

Laser e ultrassom

O professor Antônio Eduardo de Aquino explica que o diagnóstico de fibromialgia somente pode ser positivo quando são descartadas as possibilidades de o paciente ter osteoartrite, lúpus, gota e psoríase sistêmica – doenças que também causam dores semelhantes às provocadas pela fibromialgia.

A fibromialgia pode ser tratada com exercícios físicos e hidroterapia (prática de fisioterapia dentro da água), reeducação nutricional e acompanhamento psicológico. Entretanto, segundo Aquino, em virtude de crises agudas de dor, muitos pacientes não conseguem iniciar exercícios físicos e hidroterapia, porque as dores impedem a realização dessas ações.

Os sintomas então podem ser combatidos com o uso de medicamentos “pesados” que amenizam dores e relaxam os músculos. Muitas vezes, além de analgésicos, são receitados remédios para ansiedade ou depressão.

Como alternativa aos medicamentos, aplicações de ultrassom e laser são feitas diretamente nos pontos em que o paciente sente dor (locais chamados de pontos gatilho ou tender points), e a ideia de se aplicar luz e ultrassom conjugados apenas nas palmas das mãos foi baseada em uma descoberta recente de que os pacientes com fibromialgia têm um número maior de células sensoriais nessa região do que pessoas que não têm a condição.

Após dez sessões de aplicação de laser e ultrassom (três minutos em cada palma), realizadas duas vezes por semana, as dores da voluntária que participou desse estudo de caso cessaram em todos os pontos e a qualidade de vida da paciente teve uma melhora significativa. Em uma escala de 0 a 10 (sendo que 10 representava o grau máximo de dor), no início do tratamento, a paciente classificou suas dores com nível 9; no final, a sensação de dor caiu para 0.

Homeostase

Segundo o professor Antônio Aquino, a aplicação de ultrassom e laser conjugados culmina na ampliação do potencial anti-inflamatório de ambos os recursos, retomando a homeostase corporal (equilíbrio no organismo) e controlando a dor.

Até recentemente a aplicação combinada dos dois tratamentos era inimaginável por uma questão operacional, pois nenhum equipamento proporcionava a associação dessas aplicações. Para isso, a equipe teve que projetar um equipamento a partir do zero, viabilizando a obtenção do melhor resultado do laser e do ultrassom, simultaneamente.

A equipe agora pretende estudar qual metodologia de aplicação pode fornecer a melhor ação no tratamento, o que exigirá a participação de um maior número de voluntários.

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=laser-ultrassom-conjugados-combatem-dores-fibromialgia&id=12701

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));