Notícias

Incontinência urinária tem cura

A incontinência urinária, também chamada de urina solta, é a perda de urina secundária ao esforço físico ou a uma urgência miccional que afeta homens e mulheres. Esse problema físico também se torna psicosocial quando a pessoa passa a evitar lugares nos quais possa ficar constrangida. De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), a incontinência urinária atinge 10 milhões de brasileiros de todas as idades, principalmente a população idosa.

O urologista Dr. Sandro Faria, que atende e opera em Campinas e em São Paulo e está entre os três médicos que mais fazem cirurgias usando robô no Brasil, frisa que a incontinência urinária é conhecida como doença do idoso. Ele chama a atenção para a boa notícia de que sempre há uma solução, mas nem sempre os idosos têm essa informação e se conformam. “O idoso aceita a incontinência como algo inerente à idade”, pontua.

No paciente acima de 60 anos, a falta de controle urinário pode ocorrer pela perda de massa muscular, elasticidade e ganho de peso, fatores característicos desta fase de vida. “Em outras faixas etárias, a disfunção surge como sequela a traumas ou doenças neurológicas”, explica. O médico também afirma que obesidade, sedentarismo e tabagismo são fatores de risco para o problema.

Causas

O especialista ressalta que os mecanismos e causas de incontinência são diferentes entre os gêneros. Nas mulheres, além da motivação pelo envelhecimento, o déficit de estrógeno pode dificultar o domínio da micção.

A gestação também pode provocar, temporariamente, a incontinência urinária. “O peso abdominal aumenta, bem como a pressão intra abdominal. Estas duas alterações no organismo acarretam a sobrecarga ao Esfincter urinário. Esse processo desaparece depois do parto”, salienta o médico.

Nos homens, a hiperplasia de próstata leva à incontinência urinária. De acordo com o urologista, o crescimento da próstata obstrui a bexiga, gerando disfunções. Com o tempo e ausência de tratamento, o paciente perde o controle sobre o seu funcionamento. “Nesta fase, a bexiga passa a ter contrações involuntárias com consequente perda urinária”, explica Faria.

Tratamentos

Para combater a incontinência urinária, o urologista recomenda tratamento fisioterápico, que gera a cura, mas é necessária uma manutenção dos exercícios como prevenção. Existe também o tratamento medicamentoso, geralmente de uso contínuo. Há ainda opção cirúrgica, de Sling ou Esfincter artificial. Nos dois procedimentos, de acordo com o urologista, a alta do paciente ocorre no mesmo dia.

Para evitar desenvolver a doença no futuro, o médico alerta que algumas medidas preventivas podem ser tomadas. “As mulheres devem evitar ganho de peso e o sedentarismo. Os homens, além disso, devem cuidar da próstata visitando um urologista periodicamente”.

Sobre Dr. Sandro Faria

O urologista Sandro Faria, que atende e opera em Campinas e em São Paulo, está entre os três médicos que mais recorrem à cirurgia robótica no Brasil. Tendo mais de 2 mil intervenções feitas com robô na carreira, realizadas em diversas partes do País, Dr. Sandro opera exclusivamente com a ferramenta desde 2008.

Um mês depois que o primeiro robô chegou ao Brasil, em 31 de abril de 2008, no Hospital Israelita Albert Einstein, Dr. Sandro, que tem consultório no Einstein, fez duas cirurgias de próstata na capital paulista no mesmo dia: 25 de maio de 2008, uma no Einstein e outra no Hospital Sírio-Libanês, que a esta altura havia adquirido o robô Da Vinci também. Além destas duas renomadas instituições em São Paulo, o urologista opera ainda no Hospital Vera Cruz, em Campinas.

Por ter sido um dos pioneiros no uso de robô em procedimentos cirúrgicos, Dr. Sandro, que especializou-se na técnica na Emory University (EUA), é convidado pela fabricante do Da Vinci e por hospitais de todo o País para capacitar médicos iniciantes na prática em intervenções relacionadas a câncer de próstata, tumor renal e hiperplasia prostática benigna.

Serviço
Dr. Sandro faria
Endereço: Condomínio Le Premier – R. Ana Viana Silveira Franco, 18 – Sala 27 – Ville Saint Helene, Campinas – SP – Telefone: (19) 3258-6839

Fonte: Assessoria de imprensa

Related posts

Brasileiros descobrem artrite reumatoide antes dos 40 anos, indica pesquisa mundial

Priscila Torres

Campanha Conscientização sobre a Esclerose Sistêmica – Esclerodermia

Priscila Torres

Exercício e as articulações

Priscila Torres
Loading...