Artrite Reumatoide Medicamento Biológico Medicamentos Fornecidos pelo SUS Notícias

Incentivado por solicitações dos pacientes, Ministério da Saúde incorpora tratamento para artrite reumatoide

Resultado de Consulta Pública muda decisão do Ministério da Saúde, em atenção a solicitação dos pacientes, o Medicamento Oral: Baricitinibe foi incluído no tratamento da Artrite Reumatoide no SUS

O Ministério da Saúde ampliou o rol de medicamentos ofertados no SUS para tratamento da Artrite Reumatoide (AR).  A decisão foi publicada no Diário Oficial da União  após a Conitec recomendar, com base em evidências científicas e nas contribuições enviadas pela população, a incorporação do baricitinibe. O medicamento é indicado para pacientes com artrite reumatoide ativa, moderada a grave, com resposta insuficiente ou intolerância a um ou mais medicamentos já disponibilizados no sistema público.

A AR é condição crônica, sem cura, de causa autoimune. O Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) para doença foi publicado em 2019 e já incluía nove medicamentos.

Inicialmente, a recomendação do Plenário foi contrária à incorporação, por considerar que o PCDT disponível no SUS já abrangia diversas opções terapêuticas para a enfermidade. Além disso, em comparação com os tratamentos ofertados, o baricitinibe não demonstrou superioridade econômica e nem melhores resultados.

CONSULTA PÚBLICA

O tema foi colocado em consulta pública por vinte dias e, durante esse processo, foram recebidas 143 contribuições de especialistas e 748 relatos de experiências, enviadas por pacientes, cuidadores e demais envolvidos com o tema.

Essas contribuições trouxeram novos dados e perspectivas sobre o assunto, como a necessidade de aumentar as terapias disponíveis para aqueles pacientes que já utilizaram todas as opções disponíveis no SUS. Também foi mencionada a facilidade de adesão ao tratamento com o medicamento, já que esse é administrado por via oral, em uma dose única diária. Além disso, a empresa fabricante da tecnologia enviou nova proposta de preço, diminuindo o custo pela incorporação.

Por isso, a Conitec entendeu haver argumentos suficientes para modificar o relatório inicial e, assim, recomendou a incorporação do medicamento. Veja aqui o relatório final.

Relatorio_PCDT_ArtriteReumatoide_460_202

Fonte: Conitec

Artigos Relacionados

Evidência em Saúde – participação social no desenvolvimento de diretrizes clínicas

Priscila Torres

Prefeito de Itaquaquecetuba apoia Grupo EncontrAR

Priscila Torres

Dor nas costas: 5 dicas para aliviar o desconforto

Priscila Torres
Loading...
%d blogueiros gostam disto: