Muitas pessoas chegam no Natal e Ano Novo e só querem relaxar. Sair da dieta, tomar bons drinks e curtir a renovação que essa época traz. Mas será que todo mundo pode abusar?

Nem todos podem extrapolar nas festas de final de ano. Pessoas que sofrem com a Gota de James Gillray, doença provocada pelo acúmulo de cristais de ácido úrico nas articulações, por conta de concentrações elevadas de ácido úrico no sangue (hiperuricemia) são um bom exemplo das que devem controlar as vontades. Pois podem ter crises inflamatórias bem dolorosas.

Alguns alimentos podem ajudar ou prejudicar a saúde dos pacientes que sofrem com a Doença de Gota, que geralmente acomete homens de meia idade e mulheres após a menopausa. Nos casos em jovens antes dos 30 anos, podem apresentar um quadro mais grave.

Estamos no fim de ano, e todos querem sair da dieta e se divertir com os amigos e família. Mas o paciente com Gota precisa ficar atento aos abusos, pois seu quadro pode piorar e gerar uma crise, assim, começam as dores, estragando todas as férias planejadas. O que as pessoas acometidas precisam saber?

A doutora Luiza Fuoco, especialista em reumatologia na clínica Cobra Reumatologia, traz algumas informações importantes de quais alimentos fazem parte de uma dieta saudável para esses pacientes e quais são proibidos. Todos eles são baseados nos produtos comuns consumidos no verão.

Dieta Saudável:

  • Água (em toda ocasião)
  • Cenoura
  • Frutas: limão, maça, laranja, melancia
  • Salada de: agrião, beterraba, pepino
  • Leites e derivados desnatados
  • Ovos
  • Café
  • Nozes
  • Pipoca

Os vilões:

  • Bebidas alcoólicas (principalmente cerveja)
  • Temperos prontos
  • Frutos do mar
  • Embutidos

Sem excessos:

  • Carne vermelha
  • Refrigerantes
  • Produtos industrializados que tenham frutose
  • Vinho
  • Açúcar
  • Chocolate

Mais importante do que grandes restrições é manter um padrão alimentar saudável para reduzir o risco de crises de gota. Para o período das festas, destaco a restrição à de bebida alcóolicas e açucaradas, e ao consumo em excesso de proteína de origem animal. Um outro importante fator, é não suspender as medicações de uso contínuo utilizadas para o controle dos níveis de ácido úrico no sangue, o que pode desencadear uma crise de gota. – Luiza Fuoco, especialista em reumatologia na clínica Cobra Reumatologia.

Sobre a doutora: Especialista da Cobra Reumatologia, graduada em medicina pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2005), Luiza Fuoco da Rocha tem especialização em Clínica Médica (UFRJ) e Reumatologia (USP). É doutora pela Faculdade de Medicina da USP, tendo defendido a tese: “Tradução e Validação do Questionário de Avaliação de Qualidade de Vida em Esclerose Sistêmica” (2013).

Sobre a clínica: A Clínica de Reumatologia Prof. Dr. Castor Jordão Cobra foi inaugurada em 1944. Em todos esses anos, três gerações de médicos têm se dedicado ao estudo e ao tratamento das doenças reumáticas, contribuindo não só com a qualidade de vida de seus pacientes, mas com o fomento da especialidade. O fundador Prof. Dr. Castor Jordão Cobra desenvolveu métodos terapêuticos vanguardistas, que muitos anos depois ainda são estudados por especialistas. Atualmente, o serviço da Cobra Reumatologia é dirigido pelo neto do Prof. Castor, Dr. Jayme Fogagnolo Cobra, que expandiu os serviços prestados pela clínica liderando um grupo de mais de 40 reumatologistas que atuam em 9 hospitais de São Paulo, ABC Paulista e Santos, realizando mais 6 mil atendimentos por mês.

Fonte: Segs Saúde.

Olá, participe da conversa, deixe o seu comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.