Depoimentos

Fé, coragem e esperança

Tudo começou quando eu ainda era um bebê. Eu não andava, não engatinhava, andava pela casa toda me arrastando de bunda no chão. Quem me contou foi minha mãe.

Minha mãe percorreu mais de 10 hospitais comigo para alguém descobrir o que eu tinha, minha mãe chorava, gritava, implorava para que descobrissem o que eu tinha porque ela não aguentava mais me ver naquela situação.

Até que um dia, finalmente foi descoberto que aquela pequena menina tinha Artrite Idiopática Juvenil. Daí em diante comecei o tratamento, foram longos anos de infiltrações erradas que me custaram um pé enfaixado sem poder caminhar e muitas noites gritando de dor.

Até que comecei o tratamento com corticoides entre outros medicamentos que me custaram uma infância inteira de bullying, cabelos caindo, sobre peso, pelos por todo o corpo, rosto e corpo inchados, até que um dia finalmente começo com as injeções biológicas e finalmente começa o primeiro resultado de alívio nas dores, e assim foi trocando de medição piorando e melhorando até os meus 18 anos.

Quando finalmente pude passar para um reumatologista adulto e começar tomar medicações mais fortes, onde por um período tive minhas dores controladas, mas piorei e tive que mudar de novo, de novo, e de novo… e assim foi até chegar como estou hoje.

Estou há 5 meses tomando infliximabe, acho que finalmente encontrei minha paz, de ter minhas dores controladas e poder tentar levar uma vida normal. Porém o resultado de como estou hoje e de que a artrite me trouxe foi: ansiedade, depressão, traumas, algumas sequelas, sobre peso, perca de cabelo, entre outras coisas.

Mas acho que posso dizer, que mesmo com tudo isso tenho a minha própria paz e me vejo como uma privilegiada por saber que perto de outras pessoas, que tem por aí com doenças piores que a minha, eu sou RICA DE SAÚDE e extremamente grata a Deus por ter chegado até aqui.

Tenham muita fé e coragem e acreditem todos nós temos a capacidade de sermos felizes assim mesmo.

Meu nome é Juliana Souza, tenho 21 anos, convivo com o diagnóstico de Artrite Reumatoide há 21 anos, sou Vendedora e moro em Canoas-RS

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, preencha o formulário no link http://ow.ly/gGra50nFGJp

Doe a sua história!❤

#depoimento

Related posts

Tinha muita força e disposição, mas agora só fraqueza

Priscila Torres

Aprender a conviver com a dor não é fácil mas é possível viver melhor.

Priscila Torres

O diagnóstico não me determina!

Priscila Torres
Loading...