Existe sim, uma vida depois da doença autoimune

Olá me chamo Ana Paula Ursine tenho 29 anos. Com 14 anos fui diagnosticada com LMA m3 (leucemia mieloide aguda). Naquele momento meu mundo caiu, como assim câncer, sou adolescente tenho uma vida pela frente, que não incluía quimioterapia, muitas internações, bolsas de sangue e claro a tão temida careca!

É claro que no começo foi muito difícil, até aceitar teve muitos dias que pensei em desistir, pensava: eu não vou aguentar, estou fraca, mas a força que eu tenho vem de Deus, apoio, amor e carinho.

Desde então tive muitas complicações, muitas lutas e muitas vitórias. Com 23 anos tive meu grande milagre Ana Júlia, tempos depois tive um nódulo no pulmão e venci.

Com 26 anos tive uma trombose cerebral com perde de memória e foi aí que fui diagnosticada com, doença mista do tecido conjuntivo.

No início foi muito difícil aceitar, como assim uma doença que não tem cura, não aceitei o diagnóstico procurei outros médicos e o diagnóstico era realmente aquele, tem dias que a fadiga e cansaço é tão grande, que fica difícil dizer onde não dói, mas tenho muita fé, força e sei que vou vencer mais essa.

Não desista jamais, sei que é muito difícil, mas existe sim, uma vida depois da doença autoimune.

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, preencha o formulário no link http://ow.ly/gGra50nFGJp

Doe a sua história!

 

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));
%d blogueiros gostam disto: