Essa estrada é para fortes. A dor é nossa companheira, mas não é nossa melhor amiga.

Boa noite, meu nome é Iris, quando eu tinha 33 anos, meu filho, meu tesouro de 7 anos, comecei a sentir dores em meus polegares, na época trabalhava como vendedora externa em uma industria de café. Dirigia o dia todo, fui ao reumatologista fiz exames, meu FAN deu positivo, e o fator reumatoide lá em cima.

Passei a tomar cloroquina e um anti-inflamatório, e peguei essa estrada, que não vou dizer que é ruim, mas é para fortes como nós, guerreiras do AR. Domingo dia 04 de agosto vou fazer 54 anos, e a dor que apesar de companheira não vou chama-la de melhor amiga, ela não vai consegui nunca tirar minha alegria de viver.

Tenho algumas limitações, tipo, não consigo abrir uma garrafinha, não consigo me levantar sozinha do chão. Mas tem outras coisas na vida que sei fazer muito bem. E só falto academia quando realmente estou em crise. Mas gente, amigas guerreiras do AR nós somos lasca!

A dor é nossa companheira, mas não é nossa melhor amiga. Nunca deixe que ela tire sua alegria de viver, faça academia, dance, mesmo que no outro dia tenha que tomar um diclofenaco. Temos limitações, mas tem muita coisas que sabemos fazer muito bem.

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, preencha o formulário no link http://ow.ly/gGra50nFGJp

Doe a sua história!

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));
%d blogueiros gostam disto: