ReumaBlogs

Em tempos de covid, porque vacina da gripe?

Mar-minino, o negócio não é o tal de COVID que nem vacina tem? Pra que esse corre com vacina da gripe?

Olha eu aqui outra vez pra lembrar meus safados preferidos que a vacina da gripe já começou.

Estamos vivendo um surto de COVID-19. Lembra que os sintomas são parecidos? Então, vacinar contra a influenza diminui as chances de infecção pelo vírus da gripe e portanto diminui a procura a PS. Isso alivia o sistema de saúde.

Se a pessoa tiver sintomas gripais, estando vacinada contra gripe, até ajuda a desconfundir as coisas – se é gripe ou se é COVID-19.

Agora, se a gente deve evitar aglomerações, como que faz pra ir na fila da vacina na UBS?

Cada lugar vem bolando suas estratégias! Aqui em SP farmácias receberão doses para descentralizar a vacinação. No MT, onde moram meus pais [que ja vacinaram no 1o dia (mi-la-gre)], as pessoas se mantinham com distância de 1m.

Agora de 16/04 a 08/05 entram os pacientes com doenças crônicas (vocês, seus safadinhos!), professores (redes pública e privada), trabalhadores de segurança e salvamento.

A partir de 09/05 começa o último grupão: crianças de 6 meses a 6 anos, adultos de 55 a 59 anos, gestantes, mulheres até 45 dias após o parto, pessoas com deficiência, indígenas, pessoal do sistema prissional (os funcionários e os presidiários; adolescentes de 12 a 21 em medidas socioeducativas também entram).

O dia D está previsto para 09/05. Aqui é corre pra vacinar todo mundo pra cumprir a meta de pelo menos 90% de cada grupo vacinado.

Reforço que a vacina é feita com o vírus morto, mortinho da Silva e todo mundo que usa imunossupressor e imunológico pode e deve vacinar.

Também quero lembrar a gripe mata! Não é balela e talvez agora com esse caos que estejamos vivendo a gente respeite mais os cuidados pra evitar a transmissão desses vírus (os cuidados são os mesmo pro vírus da gripe e pro corona).

#REPOST @lorenza.silverio

Artigos Relacionados

Pilates para pacientes reumatológicos

Priscila Torres

Susto…. O momento do diagnóstico

Priscila Torres

Fadiga Crônica

Priscila Torres