Dor não é frescura mesmo! 

Em 2011 comecei a sentir fortes dores nos dedos da mão. Achei que estavam quebrados e fui ao ortopedista que pediu um RX. Pra minha surpresa não estavam. Mas como tanta dor?

Ele pediu uns exames e solicitou que buscasse um reumatologista. Minha irmã na época já se tratava de esclerose múltipla, então o médico dela passou a acompanhar meu caso na busca do diagnóstico correto para iniciar as medidas necessárias.

Após uma série de exames o diagnóstico foi de A.R e foi aí que uma longa jornada iniciaria. Dores, limitações, muita medicação, aumento de peso, troca a medicação, mais dores. Ahhhh uma luta sem fim.

Hoje com 40 anos e após 2 anos de aplicações de rituximabe a doença entrou em remissão. As vezes não lembro que tenho essa doença, mas até chegar aqui não foi fácil.

Minha dica é, não deixe de tomar suas medicações, não demore a procurar um especialista e não aceite viver com essa dor. Lute assim como eu fiz, porque você vai conseguir assim como eu consegui!

Me chamo Tatyana, tenho 40 anos, sou assistente social e moro em Florianópolis-SC
“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!
É simples, preencha o formulário no link http://ow.ly/gGra50nFGJp

Doe a sua história!

Olá, participe da conversa, deixe o seu comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Artigos Relacionados

Saúde avalia proposta de incorporação do nusinersena para AME dos tipos 2 e 3

Pela primeira vez desde a criação da Conitec, pasta vai convocar audiência pública para ouvir sociedade civil sobre incorporação, pelo SUS, de medicamento para...

Apesar das frustrações, mantenho a Fé em Deus!

Tudo começou a alguns anos atrás. Eu estava na metade do curso de graduação em Medicina Veterinária e estava tendo um surto de Zika...

Único tratamento biológico para adultos com Nefrite Lúpica ativa é aprovado pela ANVISA

Estudo clínico (BLISS-LN), que incluiu pacientes brasileiros, demonstrou que indivíduos tratados com Benlysta®, da farmacêutica GSK, tiveram 74% mais chances de alcançar a resposta...