Depoimentos

“Dias de luta, dias de glória!”

Antes de tudo, eu gostaria de agradecer a Deus por todos os anjos que ele colocou em minha vida, sou uma pessoa muito amada.

No inicio de 2018 eu comecei a sentir algumas dores aleatórias, comecei a perder peso e depois os dedos das mãos começaram a inchar, eu fui ao clinico geral e ele passou meloxicam, “resolveu”, então passei a me medicar sozinha, porque sabia que meloxicam “melhorava”, com o passar o tempo já não adiantava mais.

Eu fui perdendo a locomoção e estava tomando injeções semanais de corticoide e tramal, o efeito durava apenas uma semana e mesmo assim só amenizava a dor, o clinico geral chegou a dizer que eu tinha lúpus, que eu teria que aprender a viver com aquilo, que a gente ia tratar o sintomas e eu ficaria bem, aumentou a dose de prednisona.

Já em dezembro eu piorei bastante, ia ao hospital todos os dias pra tomar um coquetel pra dor, mal conseguia andar, até que no dia 3,1 logo após o jantar em família e os fogos, eu senti a pior dor da minha vida, meu pé esquerdo parecia que estava pegando fogo, queimava e doía e junto com o pé, meu corpo todo ardia de dor, meus familiares estavam desesperados, queriam me levar para um hospital na capital, mas eu disse q não aguentava a viajem, então fomos para o hospital mais próximo, já desci do carro carregada, não conseguia mais andar, minha tia é enfermeira nesse hospital e estava desesperada coitada, tentando aliviar minha dor, me deram varias coisas pra dor nesse dia, comecei a tomar morfina em um intervalo muito curto, até que consegui sair do hospital depois de 3 dias de internação.

Sem conseguir me mover, fui a minha primeira reumato, ela então iniciou o tratamento com metrotexato e pedinisolona, eu já estava tomando reuquinol a uns meses e ela continuou, melhorei significativamente, mas ainda estava bastante rígida, com mobilidade bem reduzida e algumas visitas ao hospital no mês, a medica disse que eram sequelas da doença e que eu tinha q me acostumar.

Troquei de medica, iniciamos um tratamento com humira, hoje estou bem melhor, tenho minha vida de volta, consigo fazer quase tudo, cuido da minha casa, minha horta, meu jardim e sou muito feliz por conseguir fazer essas pequenas coisas domesticas, consegui me livrar do corticoide.

As vezes tem dias de baixa, mas quem não tem né, meu diagnóstico é recente eu ainda estou aprendendo a ouvir meu corpo e entender a doença, sei que ela vai estar comigo pra sempre, então melhor eu cuidar bem dela pra ela não me parar novamente.

Tenha paciência com você mesmo e com as pessoas ao seu redor, elas estão tão assustadas quanto você e tudo que fazem é pensando no seu bem estar, mesmo que te aborreça um pouco rs.

Me chamo Cielle, tenho 33 anos, sou Assistente Social, convivo com a Artrite Reumatoide a 2 anos e moro em Anchieta-ES

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, preencha o formulário no link https://www.surveymonkey.com/r/depoimentoBlogAR

Doe a sua história!

#depoimento

Artigos Relacionados

Sejam otimistas, a dor em nosso coração é muito grande, mas é DEUS que nos fortalece a cada dia

Priscila Torres

Tenho fé e acredito em um futuro melhor

Priscila Torres

Tenho Esclerodermia e me considero uma vitoriosa por tudo que passei

Priscila Torres