Medicamento Biológico Medicamentos Fornecidos pelo SUS Notícias

Consulta avalia inclusão do ixequizumabe para artrite psoriásica no SUS

População pode participar com envio de sugestões, via formulário eletrônico, durante processo sobre incorporação de taltz (ixequizumabe) da Eli Lilly

A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC) abriu consulta pública, que ficará disponível até o dia 17 de março, para possível incorporação do medicamento Taltz (ixequizumabe) na lista de tratamentos para artrite psoriásica fornecidos pelo Ministério da Saúde via Sistema Único de Saúde (SUS).

Pacientes, associações, profissionais de saúde e demais interessados poderão colaborar com o envio de sugestões para a disponibilização do medicamento no SUS. A recomendação preliminar do governo foi não favorável para a incorporação do tratamento.

Para participar da consulta pública com sugestões, os interessados deverão acessar o formulário a seguir e preencher o rápido questionário disponível no link: http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=54364

O medicamento em avaliação para incorporação no SUS foi lançado recentemente no Brasil e é uma das últimas novidades para o tratamento artrite psoriásica.

Os estudos de Taltz em artrite psoriásica mostraram que:

• Taltz apresenta benefícios a nível articular e na qualidade de vida dos pacientes comprovado através do estudo comparativo SPIRIT H2H, no qual demonstrou superioridade no desfecho primário composto por melhora das articulações e lesões na pele versus adalimumabe, medicamento mais utilizado para o tratamento da doença hoje em dia.

• Taltz apresentou melhora rápida no inchaço e dor das articulações, sustentada ao longo de 3 anos. (SPIRIT P1)

• Além da eficácia nas articulações, Taltz proporcionou resolução das manifestações extra articulares da doença, como entesite e dactilite.

A artrite psoriásica é uma doença crônica que impacta cerca de 800 mil pessoas no Brasil e que acomete principalmente pessoas com psoríase, mas também pode ocorrer em pessoas que não possuem a doença. Ela costuma afetar as articulações, especialmente nas extremidades do corpo e que pode causar dor intensa, rigidez e inchaço nas articulações, fadiga e até mesmo incapacidade física.

Fonte: Pfarma

Anúncios

Artigos Relacionados

Fazer atividade física em jejum pode prejudicar desempenho

Priscila Torres

FGV reúne gestores da área da Saúde para debater desafios do setor

Priscila Torres

Rinite, o que fazer para evitar crises?

Priscila Torres
Loading...