Conheça aquela que é considerada pelos especialistas uma das piores dores do mundo

Medicamentos e técnicas aplicadas no rosto são opções de tratamento para a doença.

neuralgia do trigêmeo é um distúrbio nervoso caracterizado por episódios de dor lancinante no rosto. A doença atinge até 27 indivíduos em cada grupo de 100 mil pessoas por ano. A Neuralgia do trigêmeo é conhecida por causar um tipo de dor?comparada a choques, pontadas e agulhadas.

A dor que pode ser desencadeada por estímulos inofensivos, como mastigação ou escovação de dentes, é sentida em diferentes regiões da face dependendo do ramo do nervo trigêmeo afetado.? Ele recebe esse nome porque tem três ramos: o ramo oftálmico, o ramo maxilar e o ramo mandibular.

“O tratamento inicial da neuralgia do trigêmeo é feito por meio do uso de medicamentos anticonvulsivantes, que têm a propriedade de estabilizar os impulsos nervosos”, explica o Dr. André Mansano, médico intervencionista da dor, especializado no tratamento de dores crônicas. O médico afirma que “estes remédios são capazes de controlar os sintomas em aproximadamente 70% dos casos”. 

Nos casos em que o tratamento com medicamentos?não é efetivo, existem duas técnicas para aplicação? pela pele, sem cirurgias ou cortes: arizotomiapor radiofrequência do trigêmeo e a compressão do trigêmeo por balão. 

A primeira – arizotomiapor radiofrequência do trigêmeo?-?consiste em provocar?uma lesão térmica de um ou mais ramos do trigêmeo, realizada por uma agulha com uma ponta ativa capaz de distribuir calor de forma controlada. 

Já a segunda -?compressão por balão do nervo trigêmeo?- consiste numa lesão isquêmica do nervo, que tem a capacidade de inativar temporariamente o nervo, resultando em conforto para o paciente. 

“Emambostratamentos, em mais de 95% por casos, o alívio da dor foi imediato após o tratamento”, conclui o Dr. André.

Fonte: Eurio Notícias

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));
%d blogueiros gostam disto: