if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));

Como se preparar para uma consulta médica?

É muito comum que as pessoas passem regulamente por consultas médicas de rotina para acompanhar o tratamento de alguma doença crônica, como o diabetes, por exemplo, para fazer um checkup geral ou até mesmo para averiguar alguma nova alteração ou sintoma.

Em todos os casos citados acima, levar exames e laudos antigos pode ajudar o especialista a chegar a um diagnóstico mais preciso. Com o histórico do paciente em mãos, o médico consegue levar em consideração toda a evolução do problema e não apenas a situação presente dos sintomas.

Segundo o Dr. Leonardo Hiroki Kawasaki, Gerente Médico da Unidade Ipiranga do Hospital São Camilo de São Paulo, é importante que o médico tenha conhecimento dos sintomas anteriores, mesmo que eles tenham melhorado, dos resultados de exames realizados e das possíveis tentativas de tratamento. Além disso, levar a relação de medicamentos em uso é fundamental para evitar a prescrição de drogas que possam ter interações de risco e  causar reações adversas.

“Outro motivo importante para se levar a lista de medicamentos está na possibilidade da queixa do paciente ser, na realidade, um efeito colateral da medicação e não necessariamente motivada pela doença”, completa Dr. Leonardo.

Já os relatórios médicos podem conter informações úteis ao diagnóstico e à continuidade do tratamento, como é o caso do Sumário ou Resumo de Alta, que é entregue aos pacientes com internação prévia, ou seja, aqueles que já têm conhecimento da internação para um procedimento cirúrgico.

Quando o assunto é levar ou não um acompanhante, Dr. Leonardo deixa claro que essa é uma escolha de cada um: “Levar um acompanhante pode ajudar no esclarecimento de dúvidas ao complementar questões que eventualmente o paciente não consiga se lembrar. Entretanto, o paciente precisa estar ciente de que deverá ser alguém de confiança, pois poderão ser compartilhadas informações sigilosas relativas a seu histórico clínico durante o atendimento”, completa.

Para finalizar, ele deixa mais algumas dicas:

– Tente agendar a consulta com antecedência;

– Faça o possível para chegar antes do horário marcado;

– Leve a lista ou a receita como o nome de todos os medicamentos que você já usou ou está usando;

– Quando necessário, informe o histórico médico da família;

– Procure levar sempre que possível os exames mais antigos;

– E, por fim, tente ir às consultas com roupas confortáveis para facilitar a realização de exames clínicos.

Fonte: CDr. Leonardo Hiroki Kawasaki

Olá, participe da conversa, deixe o seu comentário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: