Notícias ReumatoNews

Cientistas criam medicamento que pode regenerar a cartilagem de joelhos

Como qualquer atividade física, há o aparecimento de lesões pelos mais variados motivos no montanhismo. Uma das áreas mais atingidas é o joelho. Prevenir-se de uma lesão não é, claro, deixar de praticar a modalidade, mas sim procurar proteger-se ao máximo. Assim como os tendões das mãos são o foco das lesões em escaladores, os joelhos e tornozelos são os focos principais de lesões em trekkings e hiking.

Um novo medicamento injetável, que ajudaria a regenerar a cartilagem dos joelhos em pessoas com artrose está perto de ser aprovado nos EUA. O desenvolvedor desta nova droga é Nathaniel David, que trabalha para a Unity Biotechnology que é especializada em biotecnologia, desenvolvendo medicamentos para células que perderam capacidade de dividir-se (contribuindo para o envelhecimento).

Este detalhe de células que não mais se reproduzem é o que acontece com os joelhos, quando as cartilagens se gastam e não não podem mais se regenerar. O medicamento para a artrose, que é um tipo de artrite que ocorre quando o tecido flexível nas extremidades dos ossos se desgasta, que está sendo desenvolvido começou a ser testados em humanos no ano passado e tem como um objetivo muito mais ambicioso que fazer crescer cartilagem em joelhos.

Segundo publicações científicas, os investigadores garantem que o medicamento é “o primeiro passo para nos fazer sentir jovens novamente”. “O envelhecimento não é um fenômeno rígido e inflexível”, afirmou o bioquímico formado em Harvard, Os primeiros resultados dos testes com a droga, que tem o nome temporário de UBX0101 serão publicados nas próximas semanas.

O desejo de Nathaniel David é estabelecer uma nova área de pesquisa científica que batizou de senolítica, que consiste de pequenas moléculas que podem induzir seletivamente a morte de células que entraram em um estado conhecido como senescencia.

O estado de senescencia é quando as células já não se dividem e passam a desencadear inflamações crônicas de baixo nível, as quais são prejudiciais para as células circundantes (células que se dividem). A senescencia é associada a uma ampla gama de enfermidades que aparecem na velhice. A ideia, segundo Nathaniel David afirmou a veículos de informação dos EUA, é permitir que as pessoas mais velhas levem uma vida mais saudável durante todo o tempo.

Fonte: Blog Descalçada

Artigos Relacionados

Campanha em Petrópolis, RJ, fará exames gratuitos de osteoporose

Priscila Torres

Prefeitura de Jundiaí abre novo Grupo de Tratamento de Alívio da Dor

Priscila Torres

VII Congresso Brasileiro sobre o Uso Racional de Medicamentos

Priscila Torres
Loading...