Cada dia terá um novo amanhecer e com ele uma maneira de recomeçar

Haverão dias bons e dias não tão bons, seja sempre perseverante e resiliente.

Cerca de 1 ano atrás comecei a notar que minhas dores musculares estavam mais fortes e que não importava o tanto que eu descansasse eu sempre acordava com mais dores e mais cansada.

Comecei a ouvir que era falta de coragem e não passava de muita preguiça.

Fui a procura de um médico, diziam que era anemia, que era a tireóide… até que um dia fui encaminhada para o reumatologista, neste momento eu já não andava direito e as dores eram insuportáveis.

Fiz os exames de sangue e deu positivo para AR associado a síndrome de Sjögren, estou em tratamento tentando sair de uma crise severa, ainda sinto muita rigidez no pescoço e nas mãos (essas doem muito, diariamente).

Mas atualmente, já consigo andar e voltar a rotina nos dias bons, nos dias ruins eu assisto um filme, escuto música e tento não pensar na dor (mesmo ela se fazendo muito presente).

Hoje sei que AR vai me acompanhar para o resto da vida, e não é fácil receber esse diagnóstico principalmente quando você ainda não é mãe.

Me chamo Ariadne Figueiredo, tenho 30 anos, convivo com a artrite reumatoide há 2 meses (demorei cerca de 1 ano para receber o diagnóstico), sou professora e moro na Belém-PA. 

Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!⠀

É simples, preencha o formulário no link http://ow.ly/gGra50nFGJp

Doe a sua história!

#Depoimento

Anúncios
if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));