Notícias

Auxílio doença no INSS pode ter problema com perícia virtual

Em tempos de Covid-19, a decisão do INSS de se utilizar da tecnologia para resguardar a saúde do médico perito, do servidor e do próprio segurado é importante, principalmente pelo fato de não agravar uma fila lenta por natureza.

A realização de perícia virtual é uma medida positiva nesse sentido, mas que infelizmente pode atrapalhar o exercício de direitos de muitos.

O Manual de Perícias do INSS destaca a importância de o Laudo Médico Pericial do benefício por incapacidade conter elementos essenciais, tais como identificação do trabalhador, forma de filiação, histórico previdenciário, diagnóstico, anamnese (entrevista do médico) e exame físico.

Estes dois últimos talvez sejam os mais importantes de todo procedimento. E serão os mais afetados em função da automatização das perícias virtuais.

O perito dispõe de autonomia e subjetividade para fazer sua avaliação e, nesse momento de atendimento remoto, deverá manter assim, exceto no novo coronavírus que o instituto prometeu concessão automática nos primeiros 15 dias.

Pode parecer banal, mas o contato do médico com o trabalhador é de suma importância. Dependendo da doença, diria ser crucial. A partir do momento em que o segurado entra na sala da perícia, na realidade, já começa a avaliação.

Alguns médicos fazem exame visual da cabeça aos pés, analisando vestimenta, asseio, características físicas, malformação, amputação etc.

Nem sempre o laudo emitido pelo médico assistente do segurado consegue refletir essa riqueza de detalhes. Além disso, o exame físico (inspeção visual, palpação, ausculta) e o próprio relato do doente ficam também comprometidos. Pequenos detalhes podem ser relevantes para o convencimento do perito.

Quando o médico do INSS, em sua residência, abrir seu notebook e analisar os anexos do pedido do auxílio-doença, estará com sua sensibilidade prejudicada para ter a real noção do problema. Em vez de analisar pessoas, estará diante de papéis escaneados. E esse aspecto pode fazer toda diferença para quem aguarda ansioso uma resposta positiva do seu benefício.

Fonte: Mix Vale.

Artigos Relacionados

Dor ou manha? Como interpretar corretamente os sinais do seu filho

Priscila Torres

Ministério Público do Ceará alerta para ‘golpe do colchão milagroso’

Priscila Torres

Doenças Reumáticas são muito mais do que um nome difícil

Priscila Torres