Notícias

Atividade física ameniza estresse e ansiedade nas crianças durante o isolamento social

A nova rotina das crianças em isolamento social, com horários mais desorganizados, falta de lazer ao ar livre e aprendizagem remota, desperta, em muitas, o que os especialistas chamam de estresse tóxico, que se caracteriza pelo aumento da ansiedade, estresse e alterações no sono, por exemplo.

Para amenizar essas consequências negativas à qualidade de vida, a cardiologista infantil e médica do exercício e esporte do Hospital Edmundo Vasconcelos, Silvana Vertematti, aconselha a introdução da atividade física no dia a dia. “Os exercícios, mesmo que em casa, são essenciais para controlar essa situação de estresse na qual as crianças se encontram. A prática deve ser realizada em intensidade regular a moderada de 30 a 60 minutos por dia”, atenta.

A dica é que os exercícios se encaixem no cenário lúdico e sejam feitos por meio de brincadeiras como pular corda, amarelinha ou praticar bambolê. Silvana Vertematti lembra que as modalidades estimulam o fortalecimento de músculos e ossos, além do desenvolvimento motor e de habilidades como equilíbrio e coordenação.

Segundo a médica, é importante ainda promover outras transformações na rotina desorganizada do isolamento social. “Além da atividade física, é preciso que as crianças tenham horários definidos para as tarefas, uma alimentação saudável e tempo curto de uso de telas – como celular e tablet, que interferem no sono e relações familiares”, explica.

A organização do cotidiano durante o isolamento tem impactos também no futuro quando se vislumbra a volta às aulas, lembra a médica. “É preciso que a criança esteja bem para a volta à escola, tanto fisicamente, quanto psicologicamente. Por isso, aconselhamos estabelecer essas mudanças no dia a dia, mesmo que após mais de três meses de isolamento”, finaliza.

Hospital Edmundo Vasconcelos

Localizado ao lado do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, o Hospital Edmundo Vasconcelos atua em mais de 50 especialidades e conta com cerca de 1.000 médicos. Realiza aproximadamente 12 mil procedimentos cirúrgicos, 13 mil internações, 230 mil consultas ambulatoriais, 145 mil atendimentos de Pronto-Socorro e 1,45 milhão de exames por ano. Dentre os selos e certificações obtidos pela instituição, destaca-se a Acreditação Hospitalar Nível 3 – Excelência em Gestão, concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) e o primeiro lugar no Prêmio Melhores Empresas para Trabalhar na categoria Saúde – Hospitais, conquistado por três anos consecutivos, 2017, 2018 e 2019. Rua Borges Lagoa, 1.450 – Vila Clementino, Zona Sul de São Paulo. Tel. (11) 5080-4000. Site: www.hpev.com.br

Fonte: Assessoria de imprensa.

Artigos Relacionados

Obesidade: diretriz revisa recomendações para estimular perda de peso

Priscila Torres

Romã não traz apenas sorte como também saúde, afirma médico

Priscila Torres