Image default
Depoimentos

A reemissão é uma meta a ser atingida a longo prazo, mas todos os dias temos que vencer pequenas metas e nos parabenizar!!!

Há pouco mais de um ano, comecei a sentir dor ao caminhar (andava bastante pra ir ao trabalho), e pensei que era por causa do peso extra que insistia em existir rsrsrs, porém ficou insuportável ao ponto de não conseguir mais andar…

O ortopedista disse ter sido uma fratura causada por stress devido uma metartarsalgia (stress esse que nem sabia que existia) . Foram quarenta dias de bota ortopédica, até que uma manhã e acordei com dor no outro pé, pensei que estivesse tendo um sonho ruim, os dois pés queimavam e estavam vermelhos e inchados, um dedo da mão, do outro lado um cotovelo e um joelho.

Acordei meu marido e fomos pro hospital, primeiros dias do ano, internaram e não fecharam diagnóstico dizendo que estava tendo uma poliartrite por atingir ambos os lados. Tive alta com a missão de procurar um reumatologista para fechar o diagnóstico!

Pensei, meu Deus não, afinal eram anos desde a cirurgia do coração aos 26 anos, seguido de avc, uma coleção de hérnias de disco, a dor já morava em mim, não aquentava mais sentir isso. Estava em uma fase maravilhosa retomando a parte profissional depois de longo período de afastamento, reabilitada, e essa bomba veio…

O diagnóstico de artrite reumatoide, fan negativo e anti CCP, Vhs e PCR altíssimos, minha médica é uma grande amiga e não me deixou cair, tenho meu marido, minha filha e minha irmã, as pessoas que mais me apoiam quando fica insuportável.

Reuquinol, corticoide e o tão temido metotrexato me deram nos primeiros meses muitas reações, vomitava e tinha diarreia, quando melhorava já estava na hora de tomar de novo, aumento de peso por conta dos corticoides, mas não conseguia ficar sem eles, muita queda de cabelo, a pele seca doía, parecia que iria rasgar.

Meu punhos doíam tanto que não conseguia mais digitar, a médica disse, teremos que ir para o imunobiológico pois as articulações estão piorando rapidamente… E assim a luz do amanhã chegou, meu doce querido Orência,  junto com MTX que fizemos as pazes, e assim sigo meus dias e há 5 meses posso dizer que estou muito melhor, os índices abaixando cada dia mais!!!

Por isso digo, há dias bons e ruins, mas para todos há o amor por si que tem que ser descoberto, um olhar doce para a vida e aceitação que nos fortalece !!!

Obrigada a todos que estão juntos na batalha (ah… muitos se afastaram sim, eu também me silenciei, pois infelizmente muitos não entendem que temos uma doença autoimune sem cura) que mais do que ninguém buscamos a reemissão!!!

Tenha confiança em seu médico, essa relação tem que ser fortalecia e honesta!

E a batalha continua dia a dia, vencemos nossas dificuldades, agradecemos o dia bom e para os dias ruins dobramos a quantidade de fé!!! Pois Deus sabe de todas as coisas sempre!!!

Meu nome é Patrícia, tenho 42 anos, convivo com o diagnóstico de artrite reumatoide a 1 anos, sou Analista de sinistro e moro em São Paulo-SP.

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, preencha o formulário no link http://ow.ly/gGra50nFGJp

Doe a sua história!

#depoimento

 

Artigos Relacionados

Não temos cura e sim tratamento

Priscila Torres

Tinha muita vergonha de assumir a dor

Priscila Torres

Marcelly #‎SufferingtheSilence‬

Priscila Torres
Loading...
if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));