Colunas da Pri

A chegada da Artrite Reumatoide

Quando a AR chega é difícil entender os seus sintomas, é muita dor para uma pessoa só, é muita fadiga, a rigidez matinal é assustadora, pois queremos abrir as mãos, pegar as coisas, mas nossas mãos parecem presas, amarradas, impossibilitadas de fazer com liberdade, movimentos que até dias atrás eram simples e nem notávamos o quanto eram importantes.

Os primeiros sintomas, as dores, rigidez matinal e fadiga, são os sintoma mais prevalentes, mas o que é realmente difícil no começo de tudo, é lidar com o nossos sentimentos. Sentimentos de revolta, culpa, impotência e desespero, são sentimentos impactantes, que nos levam a perder noites de sono e nos fazem acreditar que a vida não será mais bela de ser vivida.

A chegada da Artrite Reumatoide foi para mim, como uma “ameaça de destino”,  como se toda minha vida parasse naquele momento e aos 25 anos eu pensei, minha vida acabou.

Mas não é o fim, a artrite reumatoide, não pode representar para nós que convivemos com ela, o ponto final, a artrite reumatoide deve ser para nós como uma vírgula, um novo começo, o início de uma vida cheia de vírgulas, mas nunca o ponto final. Acredite, existe vida após a Artrite Reumatoide!

Fonte:  Artrite Reumatoide

Related posts

Participe da Consulta Pública para ampliar o tratamento da artrite idiopática juvenil no SUS

Priscila Torres

Curso para pacientes reumatológicos reúne quase 500 pessoas em Florianópolis

Priscila Torres

Nosso dia dependerá do que decidirmos ao acordar!

Priscila Torres
Loading...