11 Mitos e Verdades sobre a Catarata

A catarata tem cura, porém a cirurgia deve ser realizada assim que for feito o diagnóstico para evitar comprometimento total da visão.

Quando o cristalino, lente natural dos olhos, começa a apresentar opacidade levando uma pessoa a ter uma visão embaçada, como se ela estivesse olhando por meio de um vidro opaco é sinal que a catarata já está instalada nos olhos.

Via de regra nascemos com essa lente transparente e com o passar dos anos, ela vai se tornando amarelada e endurecida, o que significa que neste olho está se desenvolvendo a catarata“, afirma o presidente da Associação Brasileira de Catarata e Cirurgia Refrativa (ABCCR-BRASCRS), o oftalmologista Prof. Dr. Walton Nosé.

De acordo com dados científicos, cerca de 51% dos casos de cegueira no mundo são causados pela catarata. No Brasil, quase 28% dos casos da perda de visão em idosos acima dos 60 anos tem origem na doença, segundo dados da OMS-Organização Mundial da Saúde.

Apesar de parecer um problema simples de ser corrigido, ainda existem muitas dúvidas em relação ao desenvolvimento da doença, seus tratamentos e sua cura. Descubra a seguir quais são os mitos e verdades sobre a catarata.

1) O envelhecimento é o agente causador da catarata.

Mito. Vários fatores contribuem para o aparecimento da catarata. A causa mais comum é o envelhecimento do cristalino que ocorre pela idade, sendo chamada de catarata senil. Mas, pode também estar associada a alterações metabólicas que ocorrem em certas doenças sistêmicas, (ex. Diabetes Mellitus), oculares (ex. uveíte), tabagismo, alcoolismo, secundária ao uso de medicamentos (ex. corticoides) ou a trauma ocular (contuso, perfurante, por infravermelho, descarga elétrica, radiação ultravioleta, raios X, betaterapia ou queimaduras químicas graves).

2) Visão embaçada é o único sintoma da doença.

Mito. Os principais sintomas da catarata são: sensação de visão embaçada, alteração contínua da refração (grau dos óculos), espalhamento dos reflexos ao redor das luzes e percepção que as cores estão menos nítidas. Geralmente há uma piora da miopia com redução da visão em baixa luminosidade, principalmente para longe, comparativamente à visão para perto. Somente o oftalmologista poderá solicitar os exames necessários para a confirmação do diagnóstico e indicar o melhor procedimento para tratamento.

3) A evolução da catarata ocorre por causa do envelhecimento.

Em parte. A catarata é resultado da opacificação do cristalino, seja adquirida ou congênita. No caso da catarata adquirida, o processo de opacificação do cristalino ocorre ao longo dos anos, principalmente em pacientes idosos. Vários são os tipos de catarata e na maioria das vezes é classificada de acordo com o grau de intensidade, sendo da mais leve, que praticamente não altera a visão, até a mais grave podendo ter perda total da visão.

4) Pessoas com menos de 40 anos podem desenvolver a catarata.

Verdade. A maioria das cataratas é causada por uma mudança na composição química do cristalino, que é a “lente” do olho. Numa porcentagem pequena dos casos, essas mudanças químicas são causadas por um defeito hereditário, por um trauma no olho, por diabetes, pelo uso de determinadas drogas, tais como os corticoides ou doenças oculares, como uveíte.

5) A diabetes é um fator de risco para a catarata.

Verdade. Várias pesquisas já mostraram a maior prevalência e frequência de catarata em diabéticos. Isso se dá principalmente devido aos altos níveis glicêmicos. É indispensável, portanto, que todos os pacientes façam controles oftalmológicos periódicos e mantenham sempre a glicemia controlada.

6) Existe cura para a catarata.

Verdade. A alteração visual causada pela opacificação do cristalino pode ser revertida com tratamento cirúrgico, no qual a lente natural opaca é removida e substituída por uma lente artificial transparente, chamada de lente intraocular.

7) Colírios podem curar a catarata.

Mito. A catarata é tratada por meio de cirurgia com ultrassom. O aparelho aspira o cristalino e depois injeta-se uma lente atrás da íris (parte colorida dos olhos).

8) O tratamento é exclusivamente cirúrgico.

Verdade. A cirurgia é o único tratamento eficaz para combater a catarata.

9) A cirurgia de catarata consiste na remoção e substituição do cristalino.

Verdade. Durante a cirurgia da catarata o cristalino opaco é removido e substituído por uma lente intraocular para possibilitar melhor a passagem dos estímulos luminosos para o interior do olho.

10) A catarata pode voltar após a cirurgia.

Mito. Uma vez retirada a catarata e feita a substituição do cristalino por uma lente intraocular, a doença não voltará mais. Em alguns casos, pode ocorrer, um processo de fibrose na capsula posterior que funciona como um suporte da lente intraocular. Dependendo da intensidade dessa fibrose a membrana pode se tornar opaca e prejudicar a visão. Para resolver essa opacidade é recomendado realizar um procedimento denominado de capsulotomia por Yag LASER. Este procedimento é realizado ambulatorialmente, é indolor e, quando indicado, traz melhora significativa da visão.

11) É possível livrar-se dos óculos operando a catarata.

Verdade. Existe uma grande variedade de lentes para a cirurgia de catarata. As mais recomendadas são as dobráveis de acrílico, que proporcionam uma recuperação visual mais rápida e segura. Já as lentes multifocais ou bifocais reduzem a necessidade de óculos para perto em 80% dos pacientes.

Sobre ABCCR

A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CATARATA E CIRURGIA REFRATIVA (ABCCR) tem sua origem na incorporação da Sociedade Brasileira de Catarata e Implantes Intraoculares (SBCII), fundada em 16 de março de 1982, pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Refrativa (SBCR), fundada em 20 de janeiro de 1985. A ABCCR visa congregar oftalmologistas, ampliar o estudo e acompanhar o desenvolvimento de todos os aspectos técnicos e científicos inerentes à cirurgia de catarata, aos implantes intraoculares e da cirurgia refrativa, propagando-os aos oftalmologistas e estendendo seus benefícios.

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));