Notícias

Palmilhas posturais corrigem, tratam e tiram as dores. Saiba mais

Os pés são responsáveis por toda a sustentação do corpo e nos dão equilíbrio e estabilidade. Por isso, é comum que com o passar dos anos eles sofram alterações que acabem interferindo na regulação da postura, bem como no alinhamento da estrutura esquelética, causando lesões nos tornozelos, joelhos e/ou quadril.

Felizmente, um novo conceito terapêutico, chamado de podoposturologia, vem sendo amplamente utilizado para tratar problemas de ordem postural e aliviar dores nos pés, tornozelos, pernas, joelhos, quadris, coluna vertebral, entre outros.

“A técnica auxilia na prevenção e no tratamento terapêutico por meio da prescrição de palmilhas posturais, que podem ser usadas no tratamento e na prevenção de diversas dores. As palmilhas servem ainda para corrigir alguma variação postural inadequada, que pode alterar a biomecânica da pessoa”, explica o fisioterapeuta Denis Rafael Gracioto, que trabalha com a confecção de palmilhas posturais.

Ele ressalta que as palmilha são recomendadas para quem sofre de escoliose, diferença no tamanho da pernas, dores nas costas, quadril e/ou joelho, dores e ou alterações locais nos pés, como esporão de calcâneo, fasceíte plantar, joanete, calosidade, pé chato, pé diabético, neuroma de Morton e tendinite de calcâneo, auxiliando tanto no tratamento como na prevenção destes problemas.

Outro grupo que pode ser beneficiar das palmilhas é o dos atletas, já que elas proporcionam o equilíbrio correto entre as estruturas articulares, musculares e tendões, evitando lesões.

Dr. Denis Rafael Graciotto com o jogador da Seleção Brasileira, Miranda

As palmilhas podem ser usadas por todos, crianças, adultos e idosos, em qualquer tipo de calçado (inclusive tênis de corrida, sandálias e sapatos de salto). O tratamento tem um custo acessível e seu resultado é rápido e seguro.

EXAME DE BAROPODOMETRIA – O fisioterapeuta enfatiza que a prescrição de palmilhas é feita após um exame chamado de baropodometria , que avalia as pressões plantares durante a marcha e determina o centro de pressão durante a caminhada, identificando o tipo de pisada, instabilidades, impulso e outras alterações biomecânicas.

“É ele que mostra como está a distribuição de carga entre os pés e as rotações de tronco que o paciente apresenta. Funciona através de sensores que captam com precisão os pontos de pressão sob a sola do pé e os quantificam numericamente em unidade de pressão. Na sequência, são avaliados os elementos corretivos necessários para então confeccionar a palmilha, que é feita sob medida para cada paciente”, afirma Graciotto.

BENEFÍCIOS – Os benefícios já podem ser sentidos no primeiro mês de uso, como foi o caso da dona de casa Clarice Martins, de 53 anos. Ela conta que sofria muito com as dores provocadas por uma artrose do joelho.

“O médico ortopedista havia me indicado a cirurgia no joelho, mas por recomendação do meu filho, que é jogador de futebol, resolvi procurar a podoposturologia. Com cerca de 30 dias de uso das palmilhas eu já comecei a sentir um grande alívio nas dores. Hoje, já estou usando há cerca de oito meses e consegui evitar a cirurgia até o momento. Em vista do que eu estava antes, hoje posso dizer que estou ótima”, conta Clarice.

De acordo com Graciotto, o uso de palmilhas posturais pode ser comparado a um tratamento com aparelho ortodôntico, com início, meio e fim. “Através das palmilhas adequamos novamente a postura do paciente, promovendo um reequilíbrio e corrigindo as assimetrias posturais. Tudo isso ameniza a sobrecarga na coluna vertebral, nos joelhos e nos pés”, finaliza.

Serviço:

Dr.Denis Rafael Graciotto

Fisioterapeuta

Atendimento na Vitalitê Clínicas (Centro de Terapia Regenerativa e Tratamento da Dor).

Rua Salgado Filho, 1250.

Telefone: (44) 3062-2993

Redes Sociais: Facebook

Instagram: @dr.denisgraciotto

(Conteúdo Patrocinado)

Fonte: Portal da Cidade Paranavaí

Artigos Relacionados

Metade dos paulistanos não praticou atividade física nos últimos 12 meses

Priscila Torres

Jovem baiana que perdeu movimento das pernas não consegue que SUS forneça remédio que custa R$ 15 mil a dose

Priscila Torres

SBR divulga posicionamento sobre substituição automática de etanercepte original pela sua versão biossimilar

Priscila Torres
Loading...