Osteoporose e Menopausa: Como funciona esta relação?

Prevenção desde a infância é a melhor maneira para uma reserva boa de osso.

A maioria das pessoas sabe que, com o envelhecimento, nosso corpo começa a apresentar alterações como diminuição de hormônios, diminuição de agilidade, entre outras.

Com uma expectativa de vida maior, problemas como a osteoporose são vistos com mais frequência. O que causa alguns questionamentos: antigamente não se falava nesta doença, parece que ninguém tinha?

Pois bem! E, agora? O que fazer?

Bom, vamos lá! A osteoporose é o enfraquecimento dos ossos que todos nós vamos possuir. Da mesma forma que possuiremos outros tantos sinais de envelhecimento. Porém, uso de medicamentos, fatores genéticos, nosso estilo de vida, são algumas causas que podem acelerar este processo.

Contudo, nas mulheres a perda óssea pode acontecer de forma mais evidente ao entrarem na menopausa. Isto se deve pelo fato de iniciar uma diminuição do hormônio feminino (estrógeno) que é um dos fatores que “protegem” os ossos. Com a saída deste hormônio, os ossos ficam suscetíveis ao enfraquecimento mais rápido e podemos ter perda óssea de até 4% ao ano.

Ok! Aí você se questiona: Como posso ajudar meu osso? Esta “ajuda” existe? Claro que existe! Porém, precisa começar lá na infância e chamamos de PREVENÇÃO.

Conseguimos fazer uma reserva óssea até nossos 30 – 35 anos. Após esta idade, ela começa a sofrer uma queda ano a ano. Queda que pode aumentar após a menopausa e levar a osteoporose.

Nosso estilo de vida é o que mais vai determinar qual a qualidade que nosso osso terá. Exercícios físicos, alimentação balanceada, exposição ao sol, com as devidas recomendações médicas, são hábitos que precisamos manter por toda a vida. Em pessoas que convivem com alguma doença reumática, a prevenção é realizada de maneira bem cautelosa devido aos medicamentos que vocês fazem uso.

O exercício físico, pilar muito importante da prevenção, deve ser com algum impacto como, por exemplo, caminhada e atividades onde exige força muscular. O estimulo que o músculo dará ao osso causa um processo de formação óssea. Para quem possui dores nas juntas, a orientação e a individualização dos exercícios são fundamentais e precisam ser feitas com supervisão de um profissional.

Você é muito mais! Confie.

Junto somos mais!

Dra. Aline Chiari

Fisioterapeuta, especialista e mestre em reumatologia pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), diretora executiva na Caminhos Fisioterapia.

Apaixonada por transformar e potencializar vidas.

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));