Xau Querido MtXato :)

Eu tentei, fui resistente e superei toda dor de cabeça, mal estar, calafrios e as idas constantes ao banheiro, mas ele, o metotrexato não se comportou como o esperado. A artrite foi mais forte que as 15 mg por semana de MtXato, com VHS de 33 e PCR de 37, compartilhamos a decisão de mudar o meu tratamento medicamentoso e estou partindo para o meu quarto biológico.
Aguardo então a liberação da Sul América para iniciar o Tocilizumabe (Actemra) com a expectativa de seguir monoterapia. O Actemra é um medicamento biológico que pode ser utilizado sem o uso concomitante com metotrexato, é também um medicamento endovenoso, administrado uma vez por mês, com infusões curtinhas, acabaram as longas horas de cadeira que por vezes pareciam não ter fim.
Nos últimos tempos, escrevo muito, porém, escrevo pouco sobre a minha vida com artrite, os meus dias tem sido uma verdadeira loucura, dividida entre os estudos, o blog e os projetos da associação, muitas vezes se torna apertado o tempo. mas infelizmente tenho a doença em franca atividade e muita tarefa pela frente.
O meu maior desafio neste momento, tem sido a perda de peso, estou com IMC de 34, a obesidade é um agravante para a atividade inflamatória da artrite reumatoide, isso tem sido um fator de complicação para a estabilização da minha doença, agora o foco é atingir o IMC (peso) saudável e colocar minha artrite para dormir, aliás, remissão é o nosso grande objetivo de vida.
Há um ano venho perdendo a eficácia ao Rituximabe (Mabthera), primeiro voltei a utilizar corticoide e há quatro meses, foi introduzido o metotrexato comecei com 7,5 mg e cheguei a 15 mg por semana, no entanto, tornou-se inviável continuar, durante 3 à 4 dias minha cabeça dói tipo cefaléia, acompanhada de enjoo e estava com intensa dificuldade para escrever, acumulando atividades para o 3 dias que sobravam sem dor de cabeça, estava ficando realmente insustentável. o Metotrexato é um excelente medicamento utilizei ele nos primeiros anos da doença e pude experimentar dias maravilhosos, com ele consegui retornar as atividades, mas dessa vez, eu não consegui e parece que o MTX também não conseguiu, por isso, terminamos aqui.
Estou em um momento em que preciso que a artrite fique calma, inicei um novo projeto, como TCC do meu curso de jornalismo, escolhi fazer um livro reportagem sobre a “evidência de vida do paciente com artrite reumatoide no Brasil” e  para isso, eu preciso ter bons dedos para digitar e boa cabeça para pensar e com MtXato realmente não iria rolar.
Seguindo mais uma vírgula, recomeçando o tratamento novamente, que o Actemra seja bonzinho e entenda esse meu organismo artrítico tigrão.

Jornalista
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Jornalista Grupar EncontrAR
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!