Uma maratona de diagnósticos que mudou minha vida para sempre

O ano de 2016 foi muito difícil para mim. Era estudante técnica e estava estagiando na Rede Globo. Em um dos cursos oferecidos pelo emprego, tive a sorte em ser presenteada com uma doença que mudou a minha vida. Lembro-me de sempre chegar em casa e reclamar com a minha mãe sobre os mosquitos que tinha em minha sala. No dia 20 de março comecei a sentir os primeiros sintomas. No início achei que era uma simples tendinite em consequência das novas atividades que eu estava fazendo. Em apenas uma semana, meu quadro de dor intensificou tanto que no dia 3 de abril eu não levantava mais da cama. Fui a inúmeros hospitais e diagnosticada com todas as doenças possíveis (até problemas psicológicos cogitaram), mas somente no final de abril quando as possibilidades já estavam se esgotando, em uma junta médica, decidiram me encaminhar para um anjo, a reumatologista Alycia Coelho.

Quando cheguei no consultório dela, em maio, pude enxergar uma luz no fim do túnel. Apesar de já ter feito todos os exames possíveis, inclusive o da chikungunya que no primeiro momento foi negativo, refiz acreditando que dali sairia o meu diagnóstico, e não deu outra. Quando descobri que estava com chikungunya chorei de felicidade. Não por estar doente, mas por saber o que eu tinha e saber exatamente qual seria o meu tratamento. No início estava associando o corticoide com o mtx, mas com o passar do tempo a resposta do meu organismo não foi adequada. Sentia MUITA dor, e nada do meu tratamento fazia tanto efeito.
Em uma consulta em agosto, após a minha avaliação médica, a reumatologista optou por “desmamar” o corticoide, visto os inúmeros efeitos colaterais que eu tinha. E foi nesse período que eu sentia que não iria melhorar. Não conseguia levantar da cama e viver uma vida normal. Nesse momento, entrei com a medicação arava. Que remédio maravilhoso! Comecei a sentir a vida novamente, a voltar aos poucos pra minha rotina, o que não durou muito.

Os benefícios da medicação foram passando ao longo do tempo e eu me via louca de dor, chorando pelos cantos. Fui encaminhada para uma outra médica final de janeiro e para a minha surpresa, 80% dos meus medicamentos foram suspensos. Arava, corticoide, azulfin, enfim livre deles! Fui diagnosticada com entesite, fruto da belíssima chikungunya e agora estou investigando uma suposta artrite psoriásica. Hoje, minha dores estão tão fortes que não consigo colocar um sorriso no meu rosto. O saldo dessa maratona de remédios foram 30kg a mais e o abandono dos estudos e trabalho. Minha vida mudou por completo.

Estou fazendo um tratamento com anti-inflamatórios, acupuntura e um pouco de atividades físicas. Não vejo a hora de estar 100% recuperada e poder voltar a minha rotina, correr, rir.
O apoio da minha família e amigos tem sido essencial nesse momento delicado da minha vida, e sem eles, eu não estaria contando o meu relato para vocês hoje. Com toda essa aventura, decidi que serei médica. Quero ajudar as pessoas e ser tão especial, quanto a minha médica é para mim, na vida dos meus pacientes. E eu tenho certeza que com toda essa bagagem, serei excelente no que irei fazer! Aprendi muito com esse tapa que a vida me deu, e amadureci bastante também. Comecei a dar valor para coisas que antes eram esquecidas devido a minha louca rotina. Hoje, agradeço a Deus todos os dias pela minha vida e aproveito cada segundo do meu dia. Viver é uma experiência esplêndida e única, e independente dos obstáculos que venham a aparecer no caminho, desistir não é uma opção.
Obrigada por ouvirem a minha história! Compartilhar é necessário nessas fases para perceber que não estamos sozinho.

Me chamo Millena Gomes Ferreira, tenho 18 anos, convivo com o diagnóstico de Chikungunya e entesite há 1 ano, sou estudante, moro no Rio de Janeiro – RJ.

Dor Compartilhada é Dor Diminuída“, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

“Conte a sua História”

www.artritereumatoide.blog.br/conte-a-sua-historia/
Doe a sua história!

Jornalista
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Jornalista Grupar EncontrAR
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

1 Comentário

  1. Li a história da minha querida Milena. Tantos desafios, tanto aprendizado ainda tão jovem… Peço a Deus que a ajude a superar essa doença logo. Tenho absoluta certeza que será uma médica dedicada, humana é realizada.
    Força querida. Te amo.

Olá, deixe um comentário!