Tratamento periodontal reduz efeitos da Síndrome de Sjögren

A síndrome de Sjögren é uma doença sem cura que acomete, entre outras glândulas, as salivares fazendo com que a pessoa tenha um menor fluxo salivar, maior prevalência de cáries, candidíase oral, maior acúmulo de biofilme dental e sangramento gengival. No entanto, uma pesquisa descobriu que tratamentos periodontais (em inflamações severas da gengiva) podem ajudar no controle dessa síndrome.

A pesquisa intitulada: “Os efeitos do tratamento periodontal nos sintomas da Síndrome de Sjögren primária” relacionou a doença autoimune que ataca as glândulas salivares e lacrimais comprometendo suas produções de fluídos com a periodontite.

“Nossa pesquisa foca a Síndrome de Sjögren primária que têm como diferencial o fato de não estar associada a outras doenças autoimunes como por exemplo, lúpus eritematoso sistêmico e artrite reumatoide”, diz Lucas Ambrósio, pós-graduando em Periodontia pela FOUSP (Faculdade de Odontologia da USP) e autor do estudo.

Passo a passo
Para chegar ao resultado, primeiramente,Lucas e sua equipe, composta por professores da instituição e outros alunos, analisaram a saúde bucal de um grupo de pessoas portadoras da Síndrome de Sjögtren. Foi observada a quantidade de dentes de cada um, a quantificação do fluxo salivar, se haviam marcadores inflamatórios na saliva a nas gengivas e a situação bucal dos pacientes quanto a doença.

Em seguida, essas mesmas pessoas foram submetidas a tratamentos periodontais que priorizaram orientações de como realizar uma higienização bucal eficaz e a remoção do cálculo e biofilme bucal (tártaro, um dos principais motivos de inflamação gengival).

Feito isso, foram aguardados de 45 a 90 dias e todos os exames iniciais foram repetidos. Ao final do estudo foi observado que com o tratamento periodontal houve uma diminuição da inflamação, um aumento significante no fluxo salivar e uma diminuição no índice de atividade da doença de Sjögren, que é caracterizada pela sensação de boca seca, fadiga e dores articulares e musculares.

“Nossa pesquisa mostrou que o tratamento periodontal nos pacientes com Síndrome de Sjögren primária e periodontite crônica levou a uma melhora na qualidade de vida dessas pessoas. Acreditamos que isso tenha ocorrido por causa do aumento significativo no volume do fluxo salivar não estimulado produzido, já que a qualidade de vida, neste caso, está diretamente ligada à sensação de boca seca relatada pelo paciente”, diz Lucas.

Qualidade de vida prejudicada
Pacientes com Síndrome de Sjögren têm, em geral, uma qualidade de vida prejudicada pela sensação de boca seca que dificulta a mastigação, deglutição, fala e ainda causa fadiga e dores corporais.

“Ainda tais pacientes podem vir a desenvolver alterações clínicas que podem, por exemplo, levar à inflamação de vasos sanguíneos, hepatomegalia (aumento anormal do fígado), glomerulonefrite (doença renal) e linfoma”, diz Lucas.

Fonte: Saúde Terra

Social Media

Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

×

Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!