Tratamento Alvo da Artrite Reumatoide “Treat to Target”

Imagine, você e seu médico determinando as melhores estratégias para o seu tratamento, você livrando-se da dor e dos sintomas da artrite reumatoide? Imaginou? Isso é um sonho, que já é possível, através do conceito “Treat to Target” – Tratamento Alvo da Artrite Reumatoide.

Tratamento alvo da artrite reumatoide, tem por objetivo tratar a pessoa com artrite reumatoide ou qualquer outra doença reumática, o mais precocemente e da forma mais adequada possível para o perfil da doença em cada paciente, trocando medicamentos e terapias a cada três meses até que seja estabelecido o medicamento e terapias na dose certa para controlar a doença.

Tratar o alvo é utilizado a muitos anos no controle da diabetes, hipertensão arterial e colesterol, onde a estratégia é alcançar métricas de controle, ou seja, na diabetes o objetivo é controlar o nível de açúcar no sangue, na hipertensão manter a pressão arterial controlada e na colesterolemia é manter o nível de colesterol dentro dos parâmetros saudáveis. Na artrite reumatoide e doenças reumáticas a estratégia é atingir e manter a remissão da doença.

Princípios do Tratamento Alvo da Artrite Reumatoide

  • O tratamento da artrite reumatoide deve ser baseado em uma decisão compartilhada entre o paciente e o médico reumatologista.
  • O principal objetivo do tratamento do paciente com artrite reumatoide é maximizar a qualidade de vida e de saúde a longo prazo, por meio do controle dos sintomas, prevenção de danos estruturais, a normalização da função articular, e manutenção da  participação social e laborativa. O controle da inflamação é a forma mais importante para atingir estes objetivos.
  • O tratamento deve mensurar com maior frequência a atividade da doença e ajustar a terapia de acordo com os resultados, até que o alvo (remissão) seja atingido, o tratamento deve ser ajustado pelo menos a cada 3 ou 6 meses.

O tratamento alvo da artrite reumatoide, tem por objetivo alcançar o “alvo” acontece apenas se a decisão compartilhada entre médicos e pacientes forem cumpridas à risca, o médico atribuiu um tratamento, orienta mudanças nos hábitos de vida e estabelece medidas de controle da doença, que incluem:

  • Auto avaliação por parte do paciente, (como você paciente se sente com o tratamento e como está suas dores e sintomas da doença?)
  • Avaliação do médico reumatologista sobre os sintomas do paciente, por meio de questionários;
  • Exames laboratoriais com medidas de atividades inflamatórias no sangue: avaliação médica dos resultados de exames de VHS e PCR (velocidade de hemossedimentação e proteína c reativa), entre outros exames de provas de atividade inflamatória.

Benefícios do Tratamento Alvo da Artrite Reumatoide

Controlar rapidamente e adequadamente a doença, evitando lesões articulares e complicações sistêmicas, evitando dessa forma deformidades e incapacidades funcionais, diminuindo o impacto da doença sobre as atividades diárias e principalmente profissionais dos pacientes.

Uma pesquisa holandesa publicada na Arthritis Care and Research, em agosto de 2013, estudou durante 3 anos, 347 pacientes com artrite reumatoide e mostrou que 70% dos pacientes atingiram remissão sustentada da artrite reumatoide, com menores danos articulares, melhoria da função física e qualidade de vida.

Médicos reumatologistas de todo o mundo, principalmente do Brasil, vem utilizando o “tratamento alvo da artrite reumatoide” para estabelecer uma meta e objetivo no tratamento da artrite e outras doenças reumáticas em seus pacientes, isso traz expectativas positivas para os pacientes com doenças reumáticas brasileiros. No I Encontro de Pacientes com Doenças Reumáticas da Sociedade Brasileira de Reumatologia, que aconteceu durante o XXXIII Congresso Brasileiro de Reumatologia, a médica reumatologista da Universidade Federal de Minas Gerais, Dra. Adriana Kakehasi nos explicou sobre a importância do tratamento alvo na artrite reumatoide, confira entrevista abaixo:

BlogAR: O que é o tratamento alvo da artrite reumatoide?
Dra. Adriana Kakehasi: O tratamento alvo que chamamos de “Treat to Target” – tratar para atingir um alvo, é um tratamento onde, tanto os medicamentos quanto as outras atividades em direção ao controle da doença, levam a baixa atividade ou remissão. O que é isso? é uma baixa atividade ou supressão do processo inflamatório da doença.

BlogAR: Como o paciente pode avaliar se o tratamento está fazendo efeito?
Dra. Adriana Kakehasi: Os medicamentos mais utilizados de longo prazo na artrite reumatoide, eles não fazem efeito imediato, a maioria dos medicamentos precisam de um tempo para agir, em torno de três meses é possível saber se o medicamento está fazendo algum efeito, isso já é indício que ao final de seis meses, ele deve estar fazendo o efeito desejado. Então, com três meses se aquele medicamento não fez efeito nenhum para o paciente, ele deve conversar com o médico para avaliar uma troca para outra medicação. Se houve uma melhora é possível esperar seis meses para o efeito completo da medicação.

BlogAR: Meu medicamento não está fazendo efeito, como conversar com meu médico, sem causar atrito na relação médico x paciente?
Dra. Adriana Kakehasi: A primeira coisa, não deve existir este atrito! Os médicos eles devem entender que os pacientes têm expectativas e o paciente entender quais eram os pensamentos do médico em relação ao tratamento, então isso já começa em uma conversa antes de iniciar o tratamento.
O que é que eu espero do tratamento como médico e o que você paciente espera do tratamento como paciente? A partir disso vai ser possível dizer se a sua expectativa que não foi atendida, se você deve esperar um pouco ou se aquilo realmente é um sinal de que o medicamento não está fazendo efeito.
Se o paciente não teve um controle de dor, se o paciente não notou melhora por exemplo na artrite reumatoide na rigidez matinal, se o paciente ainda está sentindo muita fadiga, todos esses aspectos devem ser relatados para o médico e isso deve ser levado em conta na avaliação de resposta ou não ao tratamento.

BlogAR: O que é decisão compartilhada?
Dra. Adriana Kakehasi: A decisão compartilhada é quando tanto o paciente e o medico tem responsabilidades sobre as decisões e os resultados do tratamento. Então, eles discutem qual é a situação da doença e qual é o plano terapêutico, tanto em relação a medicamentos e atividades não medicamentosas, os dois tem que decidir em conjunto. Assumindo responsabilidade e tendo também posição de decidir o sim ou não em relação a qualquer aspecto do tratamento.

BlogAR: O paciente pode participar das tomadas de decisões médicas?
Dra. Adriana Kakehasi: Ele não só pode como ele deve, o paciente é dono do seu corpo, ninguém pode fazer com ele o que ele não quer, mas existem situações em que mesmo havendo algumas possibilidades de efeito colateral ou alguma espera em relação ao resultado, o paciente ele tem que participar entendendo e conversando com o médico e todas as decisões devem ser em conjunto.

BlogAR: O que é remissão, como atingir a remissão?
Dra. Adriana Kakehasi: O que a gente chama de remissão é o controle total da doença e não pode haver um processo inflamatório significativo, isso significa que nem do ponto de vista dos sintomas e nem dos exames laboratoriais, pode haver atividades inflamatória excessiva. Muito importante essa pergunta, não basta atingir a remissão, ou seja, controlar pontualmente a doença e depois perde-la é necessário que ela seja mantida durante todo o tratamento de todo o paciente.

Tratamento alvo, o tratamento do futuro disponível agora

O tratamento alvo da artrite reumatoide e outras doenças reumáticas, leva em consideração aspectos e necessidades individualizadas de cada paciente, não existindo um padrão de tratamento único, mas considerando todas as especificidades de cada paciente, suas comorbidades e necessidades de atenção, porém, cabe aos pacientes serem proativos e participarem do tratamento realizando a sua parte com fidelidade, fazendo uso adequado dos medicamentos e seguindo todas as orientações médicas, quanto as orientações sobre a pratica de atividade física e mudanças de hábitos de vida, pois na artrite reumatoide está provado que somente medicamentos não levam a remissão da doença.

Um grande impedimento para a adoção do tratamento alvo no Brasil é a dificuldade de acesso ao médico reumatologista, muitas cidades não têm reumatologistas, concentrando o atendimento em ambulatórios de especialidades onde o retorno da consulta em média acontece de seis em seis meses. Ainda assim é importante saber que os médicos reumatologistas brasileiros estão trabalhando para levar a doença à remissão, garantindo a qualidade de vida dos brasileiros que convivem com doenças reumáticas.

Agradecemos a Assessoria de Imprensa da Sociedade Brasileira de Reumatoide pela oportunidade de realizar essa entrevista dentro do XXXIII Congresso Brasileiro de Reumatologia, que aconteceu em agosto na cidade de Brasília.

Fonte:

  • www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4636274/
  • www.onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/acr.21984/full
  • www.t2t-ra.com/recommendations
  • www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23206239

 

Jornalista
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Jornalista Grupar EncontrAR
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!