Thaís Siqueira, conta como convive como Artrite Reumatoide!

taisdepoOlá a todos os amigos do Encontrar!
Não é muito simples para mim escrever este depoimento, mas vamos lá.
Meu nome é Thaís, sou casada, sem filhos, tenho 25 anos, moro em Macaé-RJ e sou formada em Serviço Social.
Exatamente em julho do ano passado (2012), comecei um quadro intestinal, com dores abdominais e diarreia que perdurou por 12 dias, e antes de completar esses dias num domingo fui embora da casa da minha mãe com uma dor estranha no tornozelo direito, que atribuí a um chinelo pesado… Fui pra casa em outra cidade, ainda com problemas intestinais e a tal dor, fui dormir e no outro dia acordei simplesmente sem conseguir escovar os dentes, pentear o cabelo, puxando da perna direita com muita dor no joelho e tornozelo. Voltei pra casa da minha mãe pior e fui a princípio a um Gastroenterologista, que vendo minha situação me encaminhou para um Reumatologista que me encaminhou pra outro Reumato que resolveu me internar para investigar o que estava acontecendo. Três dias internada, as dores deram uma aliviada e sem grandes esclarecimentos voltei pra casa. No decorrer do dia da alta comecei sentindo uma piora do quadro, as dores ficando mais fortes, ligamos para o Reumato e ele me mandou tomar Inicox, que de nada adiantou. Tive uma noite terrível, não podia me virar na cama e no decorrer do outro dia mal conseguia me mexer, andar somente amparada, todas as articulações doíam, do tornozelo à mandíbula, estava mal. Tudo isso deixou minha família desesperada, por que não sabíamos do que se tratava, era uma coisa silenciosa, já tínhamos ouvido uns absurdos de médicos da emergência, e até então alteração nos exames somente no VHS e PCR, que diante do quadro ainda eram inespecíficos. Fui internada novamente, desta vez em outro hospital para investigar mais uma vez. Fiquei a base de Tramal, dias no soro, fazendo exames de sangue e nada só VHS e PCR alterados mesmo, em virtude da “melhora” das dores, tive alta depois de 5 dias complicados. Fui novamente no Reumato e ele ma receitou o corticóide Prelone 20 mg e as dores aliviaram. A saga de investigação continuava, exames pra tudo, Lúpus, Tireóide, Hepatite e tantas outras coisas e nada, tudo negativo, inclusive o Fator reumatóide, persistiam as alterações do VHS e PCR. Tomando o corticóide diariamente e sofrendo com todos os efeitos colaterais, fui “atacada” novamente com fortes dores nos punhos e dedos, e com o VHS e PCR nas alturas, e como resultado: aumento da dose do corticóide pra minha infelicidade e felicidade. Resolvi procurar outro Reumatologista, que começou a investigar, e que me acompanha até hoje, e enfim, depois de algum tempo, deu o diagnóstico de Artrite Reumatóide Soronegativa.
De lá pra cá nesses quase 1 ano, minha vida mudou bastante, percebi a cada dia limitações diferentes, é muito complicado lidar e aceitar a doença que é silenciosa e devastadora, nos afeta por inteiro física e mentalmente, a gente sente as dores, mas as outras pessoas não vêem.
Em decorrência do uso contínuo de corticóide, engordei 25 kg e desenvolvi diabetes e hipertensão.
Atualmente faço uso de Prelone e Tecnomet, além de medicações para diabetes e hipertensão, são muitos medicamentos por dia.
A luta é grande, a vida com AR não é fácil, cada dia é um dia diferente e não sabemos o que nos espera, mesmo nos momentos de desânimo, consegui me manter firme, trabalhar, dar conta da casa, mesmo quando a D. Depressão insistia em atormentar. Tenho certeza que o apoio da minha família é essencial para que eu prossiga, além da presença de Deus, sem Ele nada podemos. Minha mãe é meu braço forte e amigo, é quem me entende e me ajuda, graças a Deus tenho ela em minha vida, é meu anjo da guarda. Meu esposo também é muito especial, cuida de mim, graças a Deus, colabora no que estiver ao seu alcance. Não posso esquecer dos meus cães que são motivo de muita alegria pra mim, principalmente o Salame, um dachshund de 2 anos, que é meu filho e que cuida de mim e tem um amor imensurável!
Agora estou sem trabalhar, estou nos preparativos para fazer a cirurgia de redução de estômago, com objetivo de me curar da diabetes e da hipertensão, pois estas co-morbidades fizeram com que eu perdesse bastante qualidade de vida e claro perder peso.
Tenho fé em Deus que vai dar tudo certo.
Enfim, essa é a minha história, estamos juntos nessa luta, juntos somos mais fortes! Que Deus abençoe a todos.
Beijos!!
Thaís Siqueira Gomes Barreto.

Jornalista

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

×
Jornalista Grupar EncontrAR

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!