Tatimeire

Bom tudo começou no mês de abril com uma forte virose ,quando me recuperei da virose  começarão a doer meu punho mas como trabalho com computador pensei que foce isso , uma LER, um dia as dores aumentaram  não conseguia dormir doía tanto que queria morre me debatia e o pior não sabia o que tinha, não conseguia amarrar meu cabelo, escova os dentes, tomar banho, nem ir no banheiro, meus dedos da mãos amanhecia todos inchado sentia muito formigamento nas pontas dos dedos da mão, meu Deus pensei que ia fica “aleijada” mau conseguia andar de tanta dor na sola dos pés, fiquei dois meses mal, pensei que ia passar logo porque nunca havia sentido isso antes e nem tinha ouvido falar nessa doença , consegui pagar uma consulta particular mas com elas vieram os exames que não são baratos mas fiz, e, foi ai que fui diagnosticada como artrite reumatoide os remédios que o medico me medicou não faziam efeito já havia dois meses e nada, isso me angustiava muito, não conseguia entender direito o que era isso pois nunca havia visto falar, no final do ano consegui tratamento na UFU Universidade Federal de Uberlândia, comecei meu tratamento com doutor Roberto Ranza e sua equipe ,começou com metotrexato,  prednisona 5mg, reuquinol e nimesulida, mas com dois anos de tratamento resolvi engravidar conversei com os médicos eles me falarão que tudo era possível com acompanhamento , teria que suspender alguns medicamentos pois causaria má formação no feto, então suspenderam metotrexato e o reuquinol, só fiquei tomando o prednisona 5mg e o nimesulida me encaminharam pra ginecologia , comecei a fazer os exames, já sabia que tinha ovário policístico mas também descobri que tenho uma trompa entupida a qual dificulta ainda mais eu engravidar, fiz todos os exames mas  em janeiro de 2013 minha mãe veio passar mal sofreu uma parada cardíaca e respiratória ela tinha Lúpus e mudara ela de medico , em abril de 2012 esse medico suspendeu todos os medicamento dela, ela teve retorno em outubro e não voltaram os medicamentos,  quando foi em janeiro de 2013 ela passou mau com parada cardíaca e respiratória, ficou em coma   6 meses, quando foi dia 22 de julho de 2013 minha mãe partiu foi uma faze muito difícil minhas dores pioraram ainda mais, sabe culpo essas pessoas que se dizem Doutores porque sei que minha mãe morreu por culpa deles não podiam ter suspendido os remédios assim, ela fazia tratamento a mais de 15 anos com doutor Luís Roberto só que ele saiu do ambulatório, minha irmã havia ido na consulta com ela brigou com eles por estarem tirando os medicamento mas o medico muito grosso falou que minha mãe não tinha lúpus e era manha dela que os exames não tinha dado, mas quando ela estava internada já em coma  ela manchou o corpo todo, ai contamos pro medico que estava acompanhando ela, ele solicitou que um reumatologista examinasse ela,  e ele pediu alguns exames que constatou que o lúpus estava manifestando devido estado que ela já  se encontrava debilitada, com a perda da minha mãe foi uma fase muito complicada e difícil pois as dores
voltaram com tudo, meu emocional estava arrebentado, depois de 6 meses voltei ao ginecologista e comecei a tomar os remédios pra ovulação, comecei   no mês de abril deste ano o tratamento de  6 meses, mas não deu resultado volto no medico dia 09/10 e não consegui, nesse período que fiquei sem remédio da artrite senti varias dores a artrite atacou meu joelho , fiquei tão ruim que mal pude andar, inchei muito meus pés também foi difícil, faço acupuntura isso tem me ajudado muito quando vou pra seção entro uma e saio outra, como me alivia, mês passado estava andando arrastando por causa do joelho tive consulta com reumatologista chorei falei que não queria continuar o tratamento pra engravidar, ai meu reumatologista conversou comigo, que era pra eu ter paciência que ia melhora e que eu continuasse o tratamento que só faltava um mês e eu poderia  abrir mão de um sonho, ele só podia voltar os medicamento com plena certeza de que eu não estaria gravida porque se acontecesse de eu engravidar tomando os medicamentos eu teria que retira o feto porque poderia ter  má  formação e me explicou que já havia acontecido com outros paciente, então resolvi passar pela minha ginecologista para ter certeza, hoje aguardo retorno, sei que não sou a mesma mais tenho muitas limitações, não consigo  torcer um pano, já não consigo limpar minha casa e dependo da paciência do meu marido que tem sido minhas pernas e meus braço ele tem me ajudado muito, não me cobra as coisas, já no meu serviço é mais complicado porque as pessoas não sabem o que é essa doença, um dia a gente está bem e no outro não  as pessoas não acreditam, dá pra ver na cara, é complicado isso, me esforço muito pra não me entregar a doença e confesso não é fácil, mas vou lutando depois de passar pelo ginecologista e ter certeza que não estou gravida meu reumatologista falou que posso volta com metotrexato 8 comprimidos uma vez por semana, ate me deu a receita pois tenho consulta de 4 em 4 meses, nunca perdi a esperança de ter uma qualidade de vida melhor e que as pessoas sejam mais esclarecidas sobre essa doença para podermos ser tratados com mais respeito.

Depoimento19

Tatimeire tem artrite reumatoide e ovário policístico, tem 37 anos, foi diagnosticada há 4 anos, aos 33 anos, é casada, sem filhos e atualmente está trabalhando.

Jornalista
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Jornalista Grupar EncontrAR
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!