Respirar só pela boca, estalar o maxilar, mastigar só de um lado, tudo isso se trata na cadeira do cirurgião-dentista

Há problemas que são tão comuns e ainda assim pouca gente sabe a quem recorrer para tratar. É o caso dos estalos na boca, dor na articulação temporomandibular, mastigação com a boca aberta, mordida cruzada, respiração bucal, deglutição atípica, bruxismo e de outros tantos desconfortos. De acordo com Wilma Simões, professora do curso de pós-graduação em Ortopedia Funcional dos Maxilares na Faculdade de Odontologia da APCD (Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas), essa especialidade é responsável pela reabilitação de disfunções orofaciais. Abaixo, a especialista responde a oito importantes dúvidas sobre a Ortopedia Funcional.

  1. Estalos na mandíbula, dor na região das articulações temporomandibulares, mastigação viciosa (de um só lado), mordida cruzada, respiração somente pela boca, deglutição atípica, bruxismo… Tudo isso é da competência do cirurgião-dentista especializado em Ortopedia Funcional dos Maxilares? Explique, por favor.

Wilma Simões – “Em determinados casos, é fundamental um atendimento multidisciplinar. Por exemplo, quem sofre de artrite idiopática juvenil, além do cirurgião-dentista especializado em Ortopedia Funcional, deve recorrer também a um reumatologista. Quando há traumas, deve ser assistido também por um ortopedista. Em caso de distúrbios de crescimento, um endocrinologista também estará envolvido no tratamento. Cada um contribui, dentro da sua especialidade, com o processo de cura. Dependendo do caso, outro cirurgião-dentista, especializado em Odontopediatria, terá participação fundamental no campo orofacial. Ele deverá completar os recursos pertinentes à recuperação, regulando a postura e o movimento para o melhor e mais rápido resultado terapêutico. Muitos casos requisitam odontólogos especialistas em Dor e Disfunção Orofacial e requerem ainda o suporte do fisioterapeuta”.

  1. Também doenças respiratórias como asma, rinite e disfunções de sonorização (dislalia) estão dentro do escopo do seu trabalho?

Wilma Simões – “Sim, porém o otorrinolaringologista e a fonoaudióloga também são quase sempre indispensáveis”.

  1. Qual é o objetivo da Ortopedia Funcional?

Wilma Simões – “O objetivo da Ortopedia Funcional dos Maxilares é controlar a dinâmica mandibular e a ancoragem, principalmente sobre elementos como articulações, músculos, mucosa, língua, lábios e dentes, contando com a possibilidade de um número grande de aparelhos ortopédicos funcionais capazes de mudar a postura. De maneira geral, com respostas como um aumento da passagem de ar configuram-se relações de equilíbrio na obtenção e manutenção de melhores e mais estáveis situações. O aparelho ortopédico funcional é estético e confortável”.

  1. Vocês fazem uso de aparelhos móveis e soltos? Quais são os demais recursos incluídos nos tratamentos?

Wilma Simões – “A identidade essencial da Ortopedia Funcional é a mudança de postura terapêutica através de um contato direto sobre os dentes, isto é, sem usar nenhuma interface com as estruturas orofaciais para isso. Os sistemas de ancoragem e os métodos de diagnóstico são específicos e completamente diferentes dos usados na Ortodontia. Finalmente, não é sempre que os aparelhos funcionais estão soltos. Isso depende da condição de liberação ou bloqueio que parte da conexão entre mudança de postura terapêutica e ancoragem. Os demais recursos incluídos nos tratamentos ortopédicos podem ser desgastes seletivos para liberar movimentos e as ‘pistas diretas planas’ feitas em resina sobre os dentes decíduos para o controle da dimensão vertical – que podem até descruzar mordidas posteriores. Algumas mordidas cruzadas anteriores podem ser tratadas com sucesso, mas são casos raros”.

  1. Os pais devem estar atentos a determinados comportamentos desde que seus filhos são ainda bebês? Exemplo: mamar deitado é ruim para o desenvolvimento dos maxilares e dentes?

Wilma Simões – “Sim, os pais devem dar atenção ao aspecto odontológico do bebê desde o seu nascimento. Para mamar a criança deve ser verticalizada e, quando maior, deve continuar em posição ereta para se alimentar. A atenção para hábitos inconvenientes e deletérios, como sucção de dedos, entre outros, merece controle e disciplina de correção. Isso também deve ser analisado e controlado pelo odontopediatra especializado”.

  1. Há recomendações sobre hábitos e alimentação na primeira infância?

Wilma Simões – “Os alimentos devem ser mais fibrosos, secos e naturais, para influenciar positivamente no desenvolvimento da melhor arquitetura dos ciclos mastigatórios. Estes estarão morfologicamente estabelecidos aos quatro ou cinco anos de idade, solicitando movimentos que exercitem o desenvolvimento da força mastigatória”.

  1. Com relação aos adolescentes, há hábitos deletérios que podem prejudicar o fortalecimento da musculatura?

Wilma Simões – “Sim. Antes, o tratamento de maloclusões era indicado exclusivamente para adolescentes. Atualmente, com o progresso da ciência e da multidisciplinaridade, sabe-se que o tratamento pode ser oportuno em qualquer idade, com as devidas e respectivas considerações. O predomínio do açúcar, gordura, comida pastosa, frituras, bebidas gaseificadas, entre outros elementos, identificam maus hábitos que podem levar a doenças numa frequência significativa, como diabetes. Dentes tortos demonstram movimentos de dentes inferiores contra superiores e postura mandibular alterada. Essa situação compromete a musculatura envolvida. Dependendo do caso, a Ortopedia Funcional deve ser acionada em caráter multidisciplinar quando incluir doença, trauma e determinantes que afetam o crescimento”.

  1. Como o especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares trata o bruxismo?

Wilma Simões – “Bruxismo é um ato parafuncional – diferentemente da respiração, mastigação, deglutição e fonação, que são funcionais. O bruxismo ocorre na vigília, porém mais frequentemente durante o sono, podendo produzir som audível. Ele é representado por movimento rítmico e involuntário, incluindo ranger e/ou apertar os dentes, provocando desgaste. O bruxismo é mais frequente na infância e depois vai diminuindo entre seis e doze anos. Vale a pena ressaltar que ele é mais presente no gênero feminino. A Ortopedia Funcional tem uma série de recursos para tratar o bruxismo através de aparelhos que liberam ou bloqueiam movimentos com a preferência de não cobrir as faces oclusais e alterando minimamente a dimensão vertical”.

Fonte: Prof. Dra. Wilma Simões, professora do curso de pós-graduação em Ortopedia Funcional dos Maxilaresna Faculdade de Odontologia da APCD (Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas) – www.faoa.edu.br

 

Jornalista

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

×
Jornalista Grupar EncontrAR

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!