Psoríase: a doença de pele é cercada de preconceitos

A psoríase é uma doença que se manifesta por meio lesões róseas ou avermelhadas recobertas por escamas esbranquiçadas que podem aparecer em várias localizações, como cotovelos, joelhos ou couro cabeludo; unhas; palma das mãos e plantas dos pés; por toda a pele e articulações. Ela pode causar coceira, dores ou até mesmo artrite.

A doença imune inflamatória crônica da pele afeta aproximadamente 3% da população mundial. Atinge pessoas de todas as idades e de ambos os sexos e é frequente principalmente na faixa etária entre 20 e 40 anos. Até hoje não se sabem os motivos causadores da doença, mas pesquisas científicas demonstram que, em 30% dos casos, o fator genético está envolvido. No entanto, estresse emocional, traumas ou irritações na pele, infecções na garganta, baixa umidade do ar ou alguns medicamentos podem aumentar ou iniciar a doença.

10419465_10204825581300625_468018365062588226_n

O analista de mídias sociais Fernando Quirino, de 34 anos, lembra das primeiras manifestações da psoríase por volta dos 17 anos. “Minha psoríase não tem um padrão, aparece em qualquer momento, mas se eu estiver mais estressado ou ansioso ela piora. Já tive manifestações em vários locais do corpo, como na palma da mão e no couro cabeludo. As lesões incomodam bastante, principalmente se a pele está muito ressecada. Além de coçar, em alguns locais a ferida pode abrir e arde bastante”, disse.

A psoríase não é contagiosa e não possui cura, mas os sintomas podem ser controlados por meio de tratamento com pomadas de uso tópico e hidratantes no local das lesões. A exposição solar também auxilia no controle dos sintomas.

Atualmente o SUS oferece 16 procedimentos para o tratamento da doença, entre eles o medicamento metotrexato injetável. “Hoje, tanto os tratamentos quanto a recepção das pessoas estão bem melhores. Quando era mais novo, sentia que havia mais preconceito. Atualmente, a maioria das pessoas que olham sabem do que se trata e que não é contagioso”, completa Fernando.

Reduzir o estresse, a ansiedade e a tristeza também podem auxiliar no controle das lesões. O fator emocional influencia consideravelmente no quadro clínico da psoríase, seja positiva ou negativamente. Além disso, outras fontes de estresse ao organismo, como as infecções, podem causar aumento e/ou piora das lesões.

 Fonte: Blog da Saúde

Jornalista
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Jornalista Grupar EncontrAR
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

2 Comentários

Olá, deixe um comentário!