Projeto de Lei, solicita tratamento obrigatório no SUS para Fibromialgia

A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 6858/13, da deputada Erika Kokay (PT-DF), que obriga o SUS a oferecer tratamento para pessoas com síndrome de fibromialgia ou fadiga crônica. A proposta garante ao paciente atendimento multidisciplinar (médicos, psicólogos, nutrição e fisioterapia), acesso a exames, assistência farmacêutica e outras terapias.
Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, a fibromialgia é uma das doenças reumatológicas mais frequentes. O principal sintoma é a dor difusa e crônica nos músculos e ossos, mas a pessoa pode apresentar ainda fadiga, distúrbios do sono, rigidez matinal e paralisia de extremidades, entre outros.
“Especialistas recomendam atenção multiprofissional para o tratamento da síndrome”, diz a deputada, que participou de audiência pública sobre o tema na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara sobre o tema, no ano passado.
Tramitação
O projeto será analisado de forma conclusiva pelas comissões de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.
Fonte: Câmara dos Deputados.

Jornalista

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

×
Jornalista Grupar EncontrAR

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

Anúncios

Comentário

comentários

5 Comentários

  1. Tenho sofrido muito +/- 14 anos com artrite reumatoide e artrose fiz troca bilateral dos quadris e do joelho direito e mesmo assim preciso provar que tenho dores pelo corpo, coluna braços pescoço e parece que ninguém acredita…meu Deus quem poderá fazer alguma coisa por todos nós…..

  2. Nossa amiga Maria A.A.Neves tem toda razão, acontece comigo a exatos 12 anos tenho o mesmo problema, passei maior sufoco, quando ia ao INSS, os cara que pra min não são médicos achavam que inventávamos as dores, para poder pegar o auxilio, me encheu tanto o saco, desculpe o perdão da palavra, que pedi para dar baixa no auxilo doença, aquilo me fazia mais mal do que bem, acabei partido para trabalhar por conta, porque nenhuma empresa contrata um funcionário que te traga problemas futuros, você não pode omitir que faz tratamento e exames periódicos para monitorar o seu problema.

Olá, deixe um comentário!