Postura inteligente ao usar smartphones evita tendinites

Eles já se transformaram em itens básicos do dia a dia. Mas o uso excessivo pode trazer alguns problemas de saúde. Se você tem frequentes dores nas mãos, braços, ombros e pescoço, a culpa talvez seja do longo tempo dedicado ao uso dos smartphones.

A medicina, inclusive, já cunhou novos termos para os desvios causados pela superexposição a esses aparelhos: texting tendinitis, para inflamações nos tendões dos dedos, em especial dos polegares e text neck, referente à postura, que, dependendo do grau de inclinação do pescoço, pode causar sobrecarga de até 27 quilos a mais na coluna cervical.

A fisioterapeuta Adriana Prati explica que a permanência por um longo período em uma mesma posição gera falta de oxigenação dos músculos:

– É por isso que temos uma sensação de queimação muscular. É um sinal de que a musculatura passou do tempo em termos de contração para garantir uma postura que a pessoa queria assumir ao executar uma tarefa.

 Sobrecarregar qualquer musculatura pode gerar lesões. No caso do dedo polegar, que é o mais comum quando se utiliza um dispositivo móvel, o movimento de digitar repetidas vezes durante um longo período aumenta os riscos de tendinites _ inflamações nos tendões. Em casos mais avançados, a dor é tão forte que o simples ato de pegar um copo causa sofrimento.

– Quando a tendinite demora a ser tratada e passa a ser crônica, muitas vezes a pessoa precisa ser afastada das atividades do cotidiano. Nessas situações uma tala é colocada para imobilizar o local. Já recebi pacientes que fizeram até mesmo uma artrose na articulação do polegar – conta o fisioterapeuta André Nogueira Ferraz.

Não é difícil encontrar pessoas que se movimentam de um lugar para outro ao mesmo tempo em que estão de olho na tela do celular. Isso, segundo Ferraz, além de ser perigoso – já que não se olha por onde se anda – provoca uma sobrecarga nas articulações dos membros superiores como mãos, antebraço, cotovelos e ombros. Dores, calor no local e limitação de movimentos estão entre os sinais do corpo de que você pode estar exagerando.

Cabeça “mais pesada”

Outro reflexo da utilização em excesso de aparelhos como smartphones se dá na coluna cervical. Inclinar a cabeça para baixo para olhar a tela e digitar sobrecarrega os discos que se localizam entre as vértebras. Para se ter uma ideia, ficar nesta posição equivale a um aumento do peso da cabeça em cerca de quatro vezes. Como consequências, tensão na região do pescoço, enxaquecas e, em situações mais graves, hérnias de disco.

– O número de pacientes nas clínicas de fisioterapia que apresentam problemas de coluna tem aumentado muito nos últimos anos. E, sem dúvida, o tempo que se passa em frente a computadores e dispositivos móveis está entre as causas principais. A questão não é parar de usar esses equipamentos, mas é preciso cuidado com a postura – ressalta Adriana Prati.

FUJA DO PROBLEMA

  • Faça pausas a cada meia hora no uso de celulares e dispositivos eletrônicos.
  • Alterne os dedos para digitar.
  • Durante o uso dos aparelhos, deixe os cotovelos apoiados em uma mesa para que a tela fique na altura dos olhos. Lembre-se: o dispositivo vai até você e não o contrário.
  • Em caso de dor nas mãos, cotovelos, antebraço e ombros, faça compressas de gelo por cerca de 15 minutos.
  • Faça movimentos circulares com os punhos. Abra e feche as mãos, esticando bem os dedos para trás com os braços estendidos. Isso vai ajudar a relaxar os tendões e os músculos.
  • Faça movimentos circulares com os ombros e pescoço. Gire-os nos sentidos horário e anti-horário. Jogue os ombros para baixo e para trás.
  • Se a dor persistir, coloque uma bolsa de água quente atrás do pescoço. Tome cuidado para que a água não ferva.

Fonte: ClicRBS

Social Media
Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!