Pilates no auxilio do tratamento da artrite reumatoide

Joseph Pilates, quando criança, era doente, sofria de raquitismo, asma e febre reumática. E na adolescência prevendo seu futuro numa cadeira de rodas começou a estudar, como autodidata, anatomia e fisiologia humana e fundamentos de medicina oriental. Com isso desenvolveu exercício em aparelhos rústicos inventados por ele. Praticando esses exercícios em aparelhos criou seu próprio método e tornou-se obcecado em superar suas limitações físicas. Com essa prática, ainda jovem tornou-se ginasta e mergulhador. Finalmente desenvolveu cerca de quinhentos exercícios que o ajudaram, bem como seus seguidores, a levar uma vida longa e saudável.

O Método Pilates é um programa de exercícios que trabalha corpo e mente ao mesmo tempo,mantendo os dois no mais perfeito equilíbrio sendo uma educação corporal completa, onde se trabalha o corpo como um todo, desde a musculatura mais profunda até a mais periférica, envolvendo força, flexibilidade, e respiração.Todos os movimentos são precisos e coordenados, não há impacto, movimentos rápidos ou violentos. O número de repetições é baixo, afim de que não se chegue a exaustão. Os exercícios acompanham o ritmo respiratório e o maior número possível de grupos musculares.Blog

O exercício físico continua sendo importante também aos portadores de AR, porém, é necessário o equilíbrio entre a prática do mesmo e o descanso. Quando os sintomas estiverem intensos, diminua a intensidade e descanse, mas não páre. É importante que as articulações sejam estimuladas para a produção do líquido sinovial, um tipo delubrificante que ameniza o atrito.

Com o Pilates, é possível dar continuidade a uma gama de exercícios com segurança e com efetividade. Neste período de pico dos sintomas, o programa da aula é direcionado principalmente à mobilização das articulações, mantendo os cuidados apropriados para evitar o cansaço e sobrecarga, assim evitando que os sintomas se intensifiquem. Quando as crises passarem, as dores e os inchaços diminuírem, a prescrição dos exercícios de Pilates podem progredir aos poucos, sem exageros, com a possibilidade de enfocar também nesse momento, o equilíbrio muscular através da força e flexibilidade dos músculos debilitados de forma que as articulações sejam preservadas. Além disso, o Pilates proporcionará uma grande consciência corporal ao indivíduo, que somado às capacidades físicas potencializadas em uma estrutura corporal equilibrada, resultará em um padrão de movimento mais eficiente e econômico, haverá então menos gasto de energia e as articulações estarão mais protegidas nas atividades da vida diárias.

É importante que o profissional e o próprio portador da artrite reumatoide preste muita atenção ao jeito e sensações dos movimentos, facilitando assim a adaptação ao programa de exercícios. Fazer compressas de água quente durante os períodos de crise pode proteger as articulações de um dano adicional.

Tipos de Pilates

1) MAT PILATES: este é o pilates feito no solo. A prática do exercício é auxiliada por variados materiais, como, rolos, bolas, halteres, faixas elásticas, bosu e magic circles. Os resultados são tão eficazes quanto os que são realizados com aparelhos.

2) STUDIO PILATES: neste caso os exercícios são realizados com ajuda de aparelhos, especialmente feitos para este fim. São eles: Cadillac, Universal Reformer, Wunda Chair, Hight Chair, Ladder Barrel, Spine Corrector e Small Barrel.

Jornalista

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

×
Jornalista Grupar EncontrAR

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!