‘Não falava, nem andava’, diz paciente ao escolher tratamento integrado no AP

Centro de Referência oferece tratamento gratuito de acupuntura, terapia ocupacional, fisioterapia e pilates. São mais de 2 mil pacientes em atendimento.

Após duas malárias e um derrame, Fátima Maria Barbosa, de 66 anos, ficou com sequelas graves na fala e na mobilidade. Foram muitas consultas médicas e uso de remédios diversos, mas ela encontrou alívio no tratamento integrativo, fazendo uso de várias abordagens terapêuticas como acupuntura e massagens.

No Amapá, os tratamentos alternativos são oferecidos gratuitamente no Centro de Referência em Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (Cerpis).

Os tratamentos ocorrem por meio de acupuntura clínica, terapia ocupacional, cuidados com a coluna, terapia da dor, fisioterapia integrada e pilates terapêutico. São mais de 25 especialidades, com diferentes técnicas para auxiliar no bem-estar físico e mental do paciente.

Fátima frequenta há mais de 7 anos o Cerpis. Ela ainda tem dificuldades para falar e anda com apoio de bengala, mas diz que os tratamentos melhoraram em muito o seu estado.

“Eu não falava nada, nem andava. Hoje já consigo me comunicar. Após anos vindo para o centro já me sinto em casa”, falou a aposentada, que recebia atendimento da fisioterapeuta Renata Rodrigues.

O espaço atende mais de 2 mil pacientes, em sua maioria idosos. Eles chegam com problemas de saúde relacionados à idade, como artrite, artrose e reumatismo, o que acaba atrapalhando a mobilidade física. Os mais jovens também buscam benefícios físicos.

Serafina Conceição da Silva, de 64 anos, é paciente há pouco mais de um mês. Ela conta que sentiu diferença logo nas primeiras sessões.

“Já fiz massagem, massoterapia, massagem com argila, fisioterapia. É tanta coisa que nem lembro de tudo, mas tenho agenda até dezembro”, diz. Ela tem artrose e artrite.

Nesta terça-feira (26) o Cerpis passou a atender mais 150 pessoas. Para ter acesso aos serviços não é necessário encaminhamento de médico especialista. Basta procurar o espaço, localizado na Avenida FAB, na esquina da Rua Odilardo Silva, no Centro. O local dispõe de uma equipe que avalia e monta um tratamento específico para cada pessoa.

Fonte: https://g1.globo.com/ap/amapa/noticia/nao-falava-nem-andava-diz-paciente-ao-escolher-tratamento-integrado-no-ap.ghtml

Jornalista
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Jornalista Grupar EncontrAR
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!