Medicamentos biológicos. Por que chamamos assim?

 

A princípio, poderíamos pensar que pelo fato de todos os medicamentos interferirem com partes do nosso corpo, com nossos sistemas, todos eles poderiam ter algo de biológico. Mas não é bem assim que a classificação funciona. Na verdade, chamamos de medicamentos biológicos, aqueles remédios produzidos através de processos biológicos ao invés de processos puramente químicos. Mas o que isso quer dizer?

Digamos que uma indústria queira fazer um medicamento sintético (não biológico), como um paracetamol, um AAS ou um ibuprofeno por exemplo. Esse tipo de medicamento é composto por moléculas pequenas com estruturas químicas de baixa complexidade. Geralmente são sais, ácidos, coisas que encontramos em um laboratório de química nas escolas. Então fazer esse tipo de remédio demanda menos tecnologia, menos tempo, e consequentemente menos dinheiro. (é claro que sempre temos exceções). Aqui, é como se fosse uma receita de bolo, a indústria farmacêutica mistura os ingredientes da maneira correta, realiza os processos químicos, e se seguir a receita bem direitinho, não tem muito onde dar errado. Inclusive duas industrias conseguem fazer dois remédios exatamente iguais, pela facilidade de entender essa receita, e fazer tudo de uma maneira muito parecida.

Se a mesma indústria quiser fazer um medicamento biológico, as coisas começam a ficar mais complicadas. Os medicamentos biológicos, em geral, possuem estruturas muito mais complexas. São moléculas grandes, com estruturas espaciais complicadas. Cada detalhe é importante. Se um pedacinho da molécula for diferente do esperado, o medicamento pode perder o efeito que esperávamos que ele tivesse. E por conta disso tudo, fica também muito mais difícil produzir esses remédios.

Como eles são moléculas geralmente encontradas no nosso corpo (como a insulina, os anticorpos e os hormônios), fica praticamente impossível fazer o medicamento sem a ajuda de um outro ser vivo. Então para conseguir produzir esse tipo de molécula, geralmente a gente empresta a capacidade de uma célula viva (que pode ser de uma bactéria ou até um fungo por exemplo) e dá tudo o que ela precisa para ela produzir o remédio no nosso lugar. A grande questão, é que esses seres vivos são muito sensíveis, e produzem esses remédios em situações muito específicas. Tem que ter uma temperatura certa, durante o tempo certo. Depois você ainda tem que purificar o produto e colocar num lugar com a temperatura adequada, porque qualquer mudança brusca pode mudar a característica do remédio e fazê-lo perder o efeito no nosso corpo. Inclusive é por isso que geralmente os medicamentos biológicos tem que ficar na geladeira.

Como esses medicamentos são tão grandes e complexos, e o processo para fazê-los é tão difícil e depende de tantos fatores, fica basicamente impossível duas industrias fazerem dois medicamentos exatamente iguais. Inclusive, de um lote para outro na mesma indústria, existem pequenas diferenças entre o mesmo medicamento biológico, mas isso não representa problemas para nós.

Então se outra indústria quiser fazer um medicamento biológico que tenha o mesmo efeito de um que já existe, ela precisa provar que eles são muito parecidos (nunca vão ser exatamente iguais) e que possuem o mesmo efeito no nosso corpo que o medicamento original tinha. Inclusive, depois que ele provar que funciona da mesma maneira, ele vai ser chamado de biossimilar – mas isso é assunto para outro dia. Aqui a receita não é de bolo, é de vinho (muito mais difícil de fazer)

Para ficar mais fácil de entender a diferença entre um medicamento sintético e um biológico, vamos ver essa figura:

MolecularMass
imagem retirada de: http://anewbiotech.com/wp-content/uploads/2015/09/MolecularMass.jpg

A primeira molécula é uma aspirina, que tem um peso molecular de 180 daltons. A última molécula é um anticorpo, e ele pesa 150 mil daltons. Ou seja, o anticorpo pesa quase 1000 vezes mais. E como se não bastasse isso, o anticorpo tem várias estruturas tridimensionais, que se dobram e se articulam de uma maneira muito especifica. De maneira geral, qualquer alteração nessas dobraduras e encaixes gera uma molécula totalmente diferente que pode não ter efeito nenhum no nosso corpo.

 

Por isso os medicamentos biológicos são tão caros – o processo é muito complicado. Por outro lado, eles são muito efetivos, porque consegue alcançar alvos muito específicos no nosso corpo, com papeis muito importantes na origem de algumas doenças.

 

Resumindo:

Os medicamentos sintéticos são pequenos, com baixa complexidade, quimicamente estáveis e geralmente facilmente reproduzidos. Os medicamentos biológicos são grandes, com alta complexidade, quimicamente instáveis (mudam suas características facilmente, com mudanças no ambiente) e dificilmente reproduzidos.

 

Para mais informações sobre biofármacos acesse: www.biofarmacos.com.br

fontes:

“entendendo medicamentos biológicos” interfarma 2012.

ANVISA

Texto produzido por: Igor Kos

Médico pesquisador
Colunista
O biofarmacos.com.br é o primeiro site brasileiro destinado ao estudo dos medicamentos biológicos. Desde 2013, sob a edição geral do Professor Doutor Valderilio Azevedo, reúne notícias e materiais relativos a esses fármacos. Além da atualização através de notícias, o site também se preocupa com a produção de diferentes conteúdos voltados a um esclarecimento maior do papel dos medicamentos biológicos no mercado farmacêutico, mas também da influencia desses produtos na vida de seus usuários.
×
Médico pesquisador
O biofarmacos.com.br é o primeiro site brasileiro destinado ao estudo dos medicamentos biológicos. Desde 2013, sob a edição geral do Professor Doutor Valderilio Azevedo, reúne notícias e materiais relativos a esses fármacos. Além da atualização através de notícias, o site também se preocupa com a produção de diferentes conteúdos voltados a um esclarecimento maior do papel dos medicamentos biológicos no mercado farmacêutico, mas também da influencia desses produtos na vida de seus usuários.
Anúncios

Comentário

comentários

2 Comentários

  1. Qual o preço desses remédios biológicos, e somente é possível conseguir pelo sus? Como funciona?

    • Os medicamentos biológicos tem a média de preço de 3 mil à 10 mil reais, sendo inviável a compra pelo comercio, por esse motivo o SUS dá o direito do paciente à ter acesso a esses medicamentos gratuitamente.

Olá, deixe um comentário!