Medicamento Biológico – Nossa Esperança de Dias Melhores

A Medicação Biológica muda o curso da doença ao impedir a ação da substância que provoca a inflamação, quando eu vi em mim a Artrite Reumatoide, comecei a estudar as formas de tratamento medicamentosos da AR no Brasil e encontrei na terapia biológica uma esperança de ter a doença controlada e impedir a degeneração severa. Acredito que a minha geração de pessoas com AR teremos um futuro com qualidade de vida compatível as demais pessoas da nossa idade.

Os medicamentos conhecidos como agentes biológicos, ou simplesmente biológicos, são moléculas de natureza protéica produzidas com o auxílio da engenharia genética, através de técnicas como a do DNA recombinante e o uso de hibridomas, que são linhagens celulares desenvolvidas para produzir um anticorpo desejado em grande quantidade.

São moléculas altamente complexas, quase sempre proteínas de alto peso molecular, resultantes de processos igualmente complexos que envolvem desde a seleção da molécula viva inicial (clonagem, microorganismos geneticamente modificados) até todo o processo de produção.

Esse processo de produção difere substancialmente do empregado na produção química convencional.

São produzidos para o tratamento de doenças crônicas como as hepatites B e C, a artrite reumatóide e vários tipos de câncer.
Proteínas que são muito semelhantes as produzidas pelo nosso organismo como o hormônio de crescimento ou eritropoietina

Anticorpos monoclonais que são anticorpos semelhantes àqueles produzidos no corpo. Estes anticorpos são adaptados para reagir especificamente sobre “alvos” selecionados.

Proteínas de fusão são baseadas em receptores naturais do corpo como por exemplo, o receptor do fator de crescimento epidérmico (EGFR) usado no tratamento de várias formas de câncer.

São Exemplos de Medicamentos Biológicos;

Vacinas
Soros
Hemoderivados
Insulinas
Medicamentos biológicos
Anticorpos Monoclonais
Anti-TNFs
Na artrite reumatoide, são utilizados medicamentos biológicos do tipo Anticorpos Monoclonais e Anti-TNFs
Medicamento Biológico – Anticorpos Monoclonais

Surgem a partir de um único linfócito B (sistema imunológico), que é clonado e imortalizado, produzindo sempre os mesmos anticorpos, em resposta um agente patogênico.Estes anticorpos apresentam-se iguais entre si em estrutura, especificidade e afinidade, ligando-se por isso ao mesmo epítopo (área da molécula do antígeno que se liga aos receptores celulares e aos anticorpos) no antígeno (partícula ou molécula capaz de iniciar uma resposta imune).

Medicamento Biológico – Anti-TNFs

O Fator de Necrose Tumoral (TNF) é uma citocina envolvida nas reações de fase aguda nos processos de inflamações sistêmicas. Seu principal papel está relacionado à regulação e equilíbrio da ação das células imunes.O desequilíbrio na produção e no número de TNF disponíveis no organismo ocasiona uma série de complicações, influenciando na ocorrência de doenças como: artrite reumatóide, artrite psoriática, espondilite anquilosante, doença de Crohn, Doença de Behçet, amilidose, sacroidose; escleroderma, poliomiosite, doença de Still do adulto , lúpus; nefrite e artrite lúpica

Os anti-TNFs são medicamentos que impedem a circulação do Fator de Necrose Tumoral, ou seja, do TNF que é quem promove a resposta inflamatória e a clínica associada com doenças auto-imunes.
Como se desenvolve um Medicamento Biológico

Modificar geneticamente uma célula ou microorganismo
Cultivo de réplicas
Colheita da proteína
Purificação
Obtenção do componente ativo
Medicamentos Biológicos comuns no Tratamento de Doenças Reumáticas

No tratamento da Artrite Reumatoide, existem dois tipos de medicamentos biológicos, os biológicos Anticorpos Monoclonais e Anti-TNFs.

Etanercepte (Enbrel®) Anti-TNF
Adalimumabe (Humira®) Anti-TNF
Infliximabe (Remicade®) Anticorpo Monoclonal
Rituximabe (Mabthera®) Anticorpo Monoclonal Anti CD-20
Tocilizumabe (Actemra®) Anticorpo Monoclonal Anti – IL6-R
Abatacepte (Orência) Anticorpo Monoclonal
Golimumabe (SimponiI®) Anticorpo Monoclonal
Certolizumab pegol (Cimzia®) Anti-TNF
Belimumabe (Benlysta®) Anticorpo Monoclonal (em estudo clínico no Brasil para tratamento do LES – Lúpus Eritematoso Sistêmico)

Exames solicitados pré-medicamento biológico

PPD (teste tuberculínico)
Radiografia de Tórax
Hemograma
Urina I
Provas de Função Hepática
Provas de Função Renal

Principais Efeitos Colaterais

Imunossupressão
(risco aumentado para infecções)
Intolerância Gástrica (náuseas, vômitos, gastralgia (dor no estômago), diarreia)
Calafrios
Febre
Dores musculares
Fraqueza e/ou Fadiga
Perda de apetite, náuseas, vômitos e diarréia
Alopecia
Erupção cutânea

Os efeitos colaterais diferem de pessoa para pessoa, cada organismo terá uma forma de reação ao medicamento biológico, os efeitos colaterais podem ser maiores nas primeiras doses e com o passar do tempo o organismo vai se adaptando de uma forma que os efeitos colaterais se tornam discretos.

Efeitos Colaterais Importantes e não tão comuns

  • Hepatotoxidade (comprometimento e sintomas de alteração da função, ex: hepatite medicamentosa)
  • Nefrotoxidade (comprometimento e sintomas de alteração da função dos rins)
  • Neurotoxidade (comprometimento e sintomas de alteração do Sistema Nervoso Central)

Muito comum, as pessoas se assustarem ao ler os efeitos colaterais de um medicamento biológico, porém, alguém já leu a bula da dipirona? e paracetamol?, saiba que o paracetamol é muito utilizado pela pessoa que tem dor crônica, porém, ninguém divulga que o uso indiscriminado de paracetamol pode levar a séria Hepatite Medicamentosa, por isso, se o seu médico prescreveu medicamento biológico, confie, ele estudou e sabe o que está prescrevendo.

Farmacovigilância

Além dos efeitos colaterais previstos, podem ocorrer efeitos colaterais raros e imprevisíveis, momento em que através de formulário próprio da ANVISA os dados são registrado e encaminhados para a farmacovigilância. Todo efeito colateral fora dos padrões esperados deve ser encaminhado a notificação para a ANVISA que é o órgão regulatório de registro e liberação para uso de medicamentos no Brasil

Fontes: Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Ministério da Saúde – Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas  – Artrite Reumatoide

Arthritis Research UK

Portal Reumatoguia – Tratamento  

Artigo publicado em Outubro/2007 e Atualizado em Outubro/2011

Anúncios

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de Artrite Reumatoide aos 26 anos, enquanto atuava como enfermeira, estava acostumada a lidar com a dor, porém, a dor dos outros. De repente a dor passou a ser minha companheira. Troquei o cuidar assistencial pelo cuidar informacional e escrevi o Blog Artrite Reumatoide, para compartilhar a minha dor, aprendi então, que Dor Compartilhada é Dor Diminuída. Hoje sou “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde e uma eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

77 Comentários

  1. Matéria de muito relevancia para pessoas que tem doenças auto imune! Tenho les e minha reumato após ter tentado diversos medicamentos sem resultado me solicitou o nedicamento Adalimumabe na qual estou agurdando. dei entrada dia 21.01.2016 e estou anciosa para ver se com este medicamento tenho melhoras.

  2. Gostaria de saber se existe risco aumentado de câncer para quem toma o Enbrel. Minha mãe vai tomar esse remédio e vi algo sobre isso na bula e fiquei com medo.

  3. Olá tenho algumas patologias como síndrome de jogre, lúpus e artrite reumatoide. Já usei várias medicações mas agora vou começar com a tocilizumabe 7 ampolas de 20 mg por mês tenho 68k e estou com muito medo das reações pq achei a quantidade muito alta por mês, E gostaria de saber se alguém já usou essa medicação e qual foi a dosagem? Aguardo a resposta. Obrigada

  4. boa tarde quero que alguém me ajude pois já fui pra vários médicos inclusive infectologista e o reumatologista e nem um deles descobriu o que tenho qual o tipo de reumatismo que tenho pois fiz todo o tipo de exame possivél e só da o PCR reagente a 1;8 pois sinto dor nas articulações a 5 anos noto quando como carne de gado e bebo refrigerante tanto dói como incha os dedos das mãos e joelho e as vezes o calcanhar por favor me ajude a descobrir o que tenho pois moro no interior do ceara hoje tenho 22 anos e não sei que tipo de inflamação tenho pois fiz todo tipo de exame possivél que os médicos prescreveram foram ao todo 38 exames e não apresenta o fator reumatoide mais as dores continuam obrigado espero que me ajude.

    • Ruan, depois de 10 anos fazendo exames e trocando de médicos, minha gastroentorologista clínica que trata a minha colite ulcerativa, me encaminhou para um reumatologista que diagnosticou artrite reumatóide sorologia negativa. Ou seja, tenho artrite decorrente do problema intestinal, pois todos os exames para diagnosticar artrite são negativos, mas mesmo assim tenho artrite reumatoide, baseada em toda a minha história clínica (mesmas dores que vc tem). Sugiro vc consultar um gastro clínico que ele irá lhe ajudar a fazer o diagnóstico. Boa sorte.

      • Diana, infelizmente é bastante comum ter uma doença autoimune e desenvolver outra que tenha sintomas e atuação inflamatória semelhante.A única coisa boa é que existem medicamentos modernos que tratam ambas as doenças no caso das doenças inflamatórias intestinais e a artrite.

  5. Olá Priscila, quero saber se existe algum medicamento para esclerodermia, como ela é uma doença imunológica e sistêmica também faz parte das doenças reumatológicas,
    resolvi fazer a pesquisa e descobri esse seu post.

    • Olá, Neusa
      Existe importantes avanços dos medicamentos biotecnológicos para o tratamento da doença “Esclerodermia”, no entanto, ainda são pesquisas que estão sendo realizadas fora do Brasil, porém, isso não diminui nossas esperanças, pois sabemos que todas as pesquisas são iniciadas fora do Brasil e logo são iniciadas aqui também. Por exemplo, o medicamento Tocilizumabe (Actemra) do laboratório Roche já vem sendo usado no tratamento da Esclerodermia, leia essa publicação: http://artritereumatoide.blog.br/2015/07/21/roche-consegue-status-de-avanco-terapeutico-para-tratamento-de-esclerodermia/
      Roche consegue status de avanço terapêutico para tratamento de esclerodermia

      Estudos clínicos apontam eficácia do Tocilizumabe (Actenra) para o tratamento da Esclerodermia, uma doença rara reumática que acomete 2,5 milhões de pessoas no mundo, o avanço desta pesquisa trará oportunidade de qualidade de vida para essas pessoas.

      O grupo farmacêutico suíço Roche recebeu o status de avanço terapêutico nos Estados Unidos para o remédio Actemra/RoActemra, utilizado no tratamento da esclerodermia sistêmica – uma doença rara grave.
      A agência americana de medicamentos, a Food and Drug Administration (FDA), concedeu o status na sequência de um estudo de fase II que foi apresentado em uma conferência médica, informou o grupo suíço em comunicado.
      Este status permite acelerar o desenvolvimento e a avaliação de fármacos para o tratamento de doenças graves, de modo que os doentes tenham acesso a eles o mais rapidamente possível.
      A Roche explicou que o estudo da fase III, corresponde aos testes mais avançados, já está em curso.
      A esclerodermia sistêmica é uma doença crônica rara, caracterizada por vasos sanguíneos anormais e alterações degenerativas que fazem com que o tecido conjuntivo se endureça e fique grosso. Ela também pode causar inchaço e dor nos músculos e articulações.
      Embora seu impacto seja difícil de avaliar, estima-se que 2,5 milhões de pessoas sofram desta doença reumatoide no mundo, que se caracteriza por sua alta taxa de mortalidade, informou a Roche.
      O Actemra/RoActemra, conhecido no Brasil como Tocilizumab, está homologado em uma centena de países para outras indicações, como a artrite idiopática poliarticular juvenil e artrite reumatoide.

      Fonte: Yahoo Notícias

  6. Ja usei o Infliximabe por uma ano e o resultado era maravilhoso, estou na terceira seringa semanal do Enbrel e ainda não notei resultados…

  7. estava fazendo uso do humira a 5 anos, mas meu medico me deu alta so que voltou os sintomas da artrite e agora ele me receitou etanercept por que disse nao poder tomar mais humira. Ma eles sao da mesma familia nao entendi porque nao posso voltou ao humira se ele estava dando certo e sem reaçoes

    • Olá, Ana Maria
      O médico fala que o Adalimumabe é da mesma família que o Etanercepet, pois os dois são medicamentos biológicos Anti-TNF, são da mesma tecnologia biológica, geralmente na reumatologia no Brasil utilizamos primeiro o Adalimumabe, depois Etanercepet, depois Infliximabe, a regra está correta, no entanto é delicado responder as razões pelas quais o seu médico não deu continuidade com o Adalimumabe, super recomendo que você faça essa pergunta para ele, exponha o seu receio de começar um novo medicamento e a segurança que tem com o Adalimumabe e verifique a possibilidade de continuar com o Adalimumabe, as vezes pode ser que seja possível! Super boa sorte na conversa!!!

  8. Olá querida…
    Estou a 25 anos convivendo com a Ar…Esses 25 anos com minha mãe que sempre tratou com remédios caseiros… Tendo demorado demais chegar ao verdadeiro diagnóstico da doença, resultou na deformidade das mãos, dedos, pernas joelhos e pé,os quadris teve que fazer uma cirugia e colocar uma platina e ainda tem que fazer nos dois joelhos,foi um verdadeiro sofrimento mas com a ajuda de Deus e o esforço da família conseguimos um tratamento com um excelente médico e começou fazer tratamento que tem apenas 03 anos, já está usando o Biológico, devo dizer que ela melhorou significativamente muito bem da artrite, mas sempre manifesta umas infecções e precisa suspender até segunda ordens dos médicos. A 03 anos atrás quando cuidava da minha filha de apenas 11 meses que era gordinha e elétrica só parava a noite para dormir e ainda acordava bem cedo,,, comecei a sentir muitas dores nas articulações do braço esquerdo e não tinha mais forças para cuidar dela, foi ai que me direcionei a três especialista em cidades diferentes, Belém,Goiânia e Brasilia e todos deram o mesmo diagnóstico e a mesma medicação.Estou ainda tomando corticoide e espero que a minha próxima consulta ao médico ele me passe o Biológico.
    Obrigada é muito bom saber que posso dividir essas dificuldades com alguém.

  9. Tenho AR a 11 anos. Após ter usado todos os remédios disponível para artrite e sofrido de dores horríveis mesmo depois de ter usado a vacina “milagrosa” do tal Dr. Genésio que quase me matou, resolvi dar um crédito aos Biológicos mesmo levando em conta os efeitos colaterias, resolvi arriscar uma vez que todos os outros remédios usados só me deixaram pior chegando inclusive a fazer cirurgia de catarata efeito do uso de corticóides. Estou na terceira aplicação dos biológicos e rezo para que dê certo. O que me ajuda bastante durante todo este período desta doença é o uso da auto Hemoterapia a 10 anos que faço regularmente uma vez por semana. Assim que tiver maiores resultados com os biológicos retorno para dar meu depoimento. fiquem em paz, e tenham paciência pois não é fácil. Um beijo no coração de todos e coragem.

  10. Olá, Eliane..

    Que coisa boa, encontrou o médico da batida perfeita….

    Eu sempre digo que nossos reumatologistas é como arrumar namorado, casar… temos que ter afinidade, confiança e ser fiel acima de tudo..

    Vc vai ficar bem, os biológicos tem modificado o triste caminho da AR.

    Bjãoo

    (obrigada por compartilhar conosco a sua experiência)

  11. Olá Priscila, bom ter encontrado seu blog.

    Convivo com a AR há 4 anos, foi muito difícil admitir que tinha a doença, porém as dores não deixavam eu esquecer. Sempre fui muito vaidosa, me adorava, me achava linda, e de repente, tudo foi desmoronando, as mãos inchando, os pés, joelhos, até começar a aparecer as primeiras deformidades no dedos das mãos. Quando fui diagnosticada comecei tratamento com corticóides, era horrível, sentia que as dores aumentavam e comecei a engordar, fiquei revoltada com a vida e com todos, então parei de tomar por pelo menos 2 anos. Nesse tempo foi uma perigrinação por médicos em busca de outro tipo de tratamento. Nesse tempo minha vida não tinha sentido, parecia que todos meus planos para o futuro haviam acabado, não havia esperança de um futuro “normal”, minha família foi incrível, sempre me apoiou, nunca desistiram. Foi então que surgiu uma luz no fim do túnel, um anjo chamado DR. Claiton Brenol, cheguei até ele por indicação de uma outra portadora da doença que estava muito bem, graças ao tratamento biológico. Comecei o tratamento a 4 meses e me sinto nova, foi como renascer, as dores sumiram, os exames estão ótimos, sinto-me outra pessoa, tenho vontade de viver e viver bem.
    Hoje consigo ver um futuro feliz para mim.

    Foi bom dividir um pouco da minha história com você, sofri muito porque nem todo mundo entende a doença.

    Obrigada!!!!!

    Bjuusss.

Se você gostou dessa publicação, nos incentive a continuar, deixe seu comentário!