Marcas da AR

priCada vez que temos uma crise são vários passos para trás. Dessa vez, depois de 1 ano meu biológico perdeu a eficácia, estamos mudando e, nessa mudança, resolvi dar um novo rumo a minha vida.

Em 2009, quando tive a minha pior grande crise, fiz uso de alta dose de cortisona, na época nem me lembro de me preocupar com a aparência, lembro que até brincava no Orkut dizendo que estava com cara de trakinas, mas o susto maior, foi em 2010, quando voltei a enxergar e me deparei com um corpo deformado, uma barriga flácida, cheia de estrias e caída.  Desde então, venho conversando com minha médica e minha mãe, sobre a cirurgia de correção e dessa vez, as duas concordaram, fiz avaliação médica e tenho indicação para cirurgia plástica corretiva, pretendo fazer ainda durante esse inverno, estou fazendo os exames pré-operatórios. Estou falando isso, pois sei que existem um grande número de mulheres artríticas que se acham diferente, algumas se isolam e sentem vergonha de falar sobre as marcas da AR em seu corpo.

Decidimos eu e minha médica que vamos parar o medicamento biológico até o pós-operatório. Com isso, voltei a usar DMARD, estou no desmame da cortisona e vou tomar muitas doses de paciência para superar a dor, mas dessa vez terei um resultado positivo, já sentimos tanta dor sem querer, não custa nada sentir dor mais alguns meses e corrigir algo que nos incomoda, não é?

Meninas e meninos, não desistam dos seus sonhos. Sempre existe um médico dedicado que, além de ser responsável, é sensível a nossa situação. Estou realizando exames pré-operatório e assim que tiver tudo pronto estarei indo fazer a primeira transformação deste ano.

Artigo original na minha coluna RecomeçAR no Portal Reumatoguia: http://www.reumatoguia.com.br/interna.php?cat=13&id=1072&menu=13

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));