Guia básico sobre artrite reumatoide que você e sua família precisam conhecer

Quando somos diagnosticados com uma doença, seja ela qual for, ficamos um pouco perdidos e confusos, pois muitas vezes desconhecemos a doença, e como “pacientes de primeira viagem”, procuramos indicações de tratamentos, formas de viver e enfrentar a doença, com pessoas que passam por isso a muito mais tempo. Nesses 7 anos de diagnóstico já errei muito no meu tratamento por falta de conhecimento e compreensão de como funciona a doença em si e muitas vezes por não acreditar na gravidade da minha condição. Então eu criei esse guia básico de informações baseadas na minha experiência de vida, que eu acho super relevantes e que se eu tivesse essa informação no inicio do diagnóstico, teria mudado muita coisa na minha vida.

1 – Artrite reumatoide é uma doença autoimune, ou seja, o nosso sistema imunológico fica confuso e não reconhece as articulações como parte do nosso corpo, então começa a ataca-las o que causa as inflamações e dores.

2 – Não tem cura, porém existem tratamentos e hábitos que podem contribuir para uma melhor qualidade de vida;

3 – O apoio e o entendimento da família sobre a doença é muito importante;

– Não existe formula magica, cada pessoa tem uma reação diferente ao mesmo tratamento e muitas vezes o tratamento precisa ser ajustado até o organismo se adaptar e conseguir controlar a doença;

5 – Fuja do comércio da cura, tratamentos sem registro na ANVISA e consensos regulatórios da sociedade brasileira de Reumatologia e Ministério da saúde, devem ser ignorados, invista em tratamento seguro e de qualidade, pois um tratamento sem farmacovigilância não é um tratamento seguro;

6 – A doença não é contagiosa, ou seja, você e as pessoas do seu convívio não precisam se preocupar se vão ficar doentes também;

7 – O excesso de peso sobrecarrega as articulações, por isso atividade física e alimentação saudável podem fazer toda a diferença na sua vida e no alivio das dores;

8 – O corticóide é um tratamento que salva vidas, porem não pode ser utilizado continuamente, é um medicamento para controle em momentos de crise da doença, quando a doença fica estável ou entra em remissão, deve-se conversar com o médico sobre a possibilidade de redução da dosagem e suspensão do uso;

9 –  artrite reumatoide pode acometer outros órgãos como pulmão, olhos e coração, portanto é necessário pelo menos uma vez ao ano uma consulta com especialistas nessas áreas;

10 – 25% dos pacientes reumáticos podem adquirir alguma doença secundária, acompanhamento médico e exames de rotina devem ser realizados de preferencia trimestralmente, assim qualquer alteração ou complicação que você possa vir a ter pode ser diagnosticada e tratada precocemente;

11 – Se depois do diagnóstico seu cônjuge ou namorado (a) lhe abandonou a culpa não é sua nem da doença, se é amor é companheiro e parceiro na saúde e na doença, você não pediu para ficar doente.

12 – Fadiga não é preguiça, não se sinta mal e não dê ouvidos ao que os outros pensam, só você sabe o peso da dor que carrega.

Texto escrito por: Dayane Ferreira de Melo

Social Media

Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

×

Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!