Fibromialgia, a dor que viaja pelo corpo e piora com a raiva

A Fibromialgia significa dores musculares crônicas não inflamatórias. As dores são difusas, espalhadas pelo corpo todo, como se fosse uma “dor turista”.

É mais freqüente em mulheres entre os 30 e os 60 anos do que em homens, mas também pode ocorrer em crianças e em pessoas de mais idade.

Sintomas

A dor é o principal sintoma. Geralmente começa nos ombros e pescoço, espalhando-se pelo corpo todo depois de um tempo.

Outros sintomas freqüentes além da dor:

Fadiga, cansaço.
Distúrbios do sono (sono não reparador. A pessoa dorme mas acorda cansada)
Cefaléia (dor de cabeça) tensional ou enxaqueca
Formigamento nos braços e pernas.
Sensibilidade ao frio.
Tensão pré menstrual e irritabilidade
Piora no inverno.

Pessoas perfeccionistas são mais propensas a sofrerem de Fibromialgia.

Às vezes existem fatores desencadeantes, por exemplo: viroses, traumas físicos, problemas emocionais.

Os exames de laboratório são normais, o diagnóstico é feito pela história e pela presença dos pontos dolorosos ou “tender points”.

A Fibromialgia pode estar associada ao Lupus Eritematoso Sistêmico, Osteoartrose, Artrite Reumatóide, hérnia de disco, Osteoporose e outras doenças.

A Fibromialgia parece estar relacionada a alterações nos mecanismos de modulação da dor, com diminuição da Serotonina (substância analgésica) e aumento substância P (uma substância que provoca dor). Por isso a Fibromialgia tem relação com a Depressão, Stress, Ansiedade e Distimia.

Tratamento

O tratamento da Fibromialgia com analgésicos a antiinflamatórios traz poucos resultados.

É importante tem melhorar os distúrbios do sono, o estado depressivo, os fatores de stress, ou seja, o mais importante é melhorar a qualidade de vida.

Quase todos os pacientes são tratados com Antidepressivos, mas nem todos os Antidepressivos são eficazes em Fibromialgia.

Se houverem fatores de vida que desencadeiam a doença e a pessoa não conseguir mudar esse fatores sozinha, é importante uma psicoterapia.

Massagem de relaxamento (nunca de compressão dos pontos dolorosos), banhos de banheira morna e condicionamento físico são importantes.

Fonte:
http://www.msnoticias.com.br/?p=ler&id=88377

Jornalista

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

×
Jornalista Grupar EncontrAR

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

Anúncios

Comentário

comentários

2 Comentários

  1. Minha mãe tem fibromialgia, artrite e artrose. Tenho 44 anos e descobri uma fibromialgia, sinto muita dor, principalmente antes e durante a menstruação e ao acordar. Gostaria de eliminar isso da minha vida.

    • Marcia, sinto muito pelo seu diagnóstico e por sua mãe conviver com a fibromialgia, infelizmente é uma doença que não tem cura, mas seguindo o tratamento "medicamentoso e multidisciplinar corretamente" é possível conviver com harmonia e qualidade de vida, porém, não basta apenas tomar medicamento, é preciso praticar atividade física, ter uma alimentação saúdavel e cuidar do emocional, procurando ter uma vida tranquila. Super estimo sua recuperação!!

Olá, deixe um comentário!