Exame que detecta osteoporose pode dar resultado enganoso se não estiver de acordo com as normas de melhores práticas

De acordo com o relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre “Prevenção e Controle da Osteoporose”, a absorciometria por dupla emissão de raios-x (DXA) é considerada a técnica mais precisa para a avaliação da densidade mineral óssea.

O equipamento pode ajudar no diagnóstico da osteoporose, prever fraturas e monitorar a resposta ao tratamento. No entanto, a DXA de má qualidade pode ser um desperdício aos recursos limitados de saúde e dar informação enganosa que pode resultar em decisões de tratamento inadequadas.

Para fornecer orientações sobre densitometrias ósseas com qualidade, a Sociedade Internacional de Densitometria Clínica desenvolveu recentemente o programa DXA – Melhores Práticas.

Uma melhor compreensão dos reguladores de remodelação óssea levou ao desenvolvimento de novos compostos para o tratamento da osteoporose, incluindo a abaloparatida, um análogo sintético da PTHrP. Os dados mais atuais serão apresentados no 7º BRADOO – Congresso Brasileiro de Densitometria, Osteoporose e Osteometabolismo, que acontece de 29 de outubro a 01 de novembro, em Joinville.

De acordo com o especialista norte-americano Prof. Dr. Michael Lewiecki, a maioria dos pacientes que poderia se beneficiar do tratamento da osteoporose pode não recebê-lo. “O Projeto ECHO (extensão para os resultados de cuidados de saúde comunitários) foi desenvolvido na Universidade do Novo México em Albuquerque,  EUA, para reduzir as disparidades na prestação de cuidados de nível de especialidade em comunidades carentes. Usando o modelo ECHO da aprendizagem baseada em casos por meio de teleconferência, a Saúde Óssea no ECHO (http://echo.unm.edu/bone-health/) visa reduzir a lacuna no tratamento da osteoporose em todo o mundo por educar os profissionais de saúde em áreas carentes para entregar níveis avançados dos cuidados de osteoporose”, explica.

O especialista é um dos convidados estrangeiros que participará da grade cientifica do 7º BRADOO e irá apresentar as novas Melhores Práticas em DXA, os últimos estudos da proteína relacionada ao hormônio da paratireoide (PTHrP) para o tratamento da osteoporose, e o uso de Saúde Óssea ECHO para reduzir a diferença de tratamento da osteoporose na América do Sul.

7º BRADOO 
Congresso Brasileiro de Densitometria, Osteoporose e Osteometabolismo

Data: de 29 de outubro a 01 de novembro

Local: Centro de Convenções e Exposições EXPOVILLE, em Joinville/SC

Endereço: Rua XV de Novembro, 4315 – Glória, Joinville

Informações: www.bradoo.com.br

Sobre a ABRASSO

A ABRASSO – Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo, representa a união das três principais sociedades médicas dedicadas ao estudo da osteoporose e do osteometabolismo no Brasil: SBDENS (Sociedade Brasileira de Densitometria Clínica), SOBEMOM (Sociedade Brasileira para Estudo do Metabolismo Ósseo e Mineral) e a SOBRAO (Sociedade Brasileira de Osteoporose).

Criada em 2011, conta hoje com cerca de 1.500 associados de diversas especialidades médicas, além de outros profissionais da área da saúde que, juntos, têm a missão de difundir o conhecimento científico, estimular o ensino e a pesquisa e realizar ações preventivas da saúde junto ao público leigo.

Social Media

Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

×

Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!