Exame Anti-CCP no diagnóstico da Artrite Reumatoide

“A determinação dos anticorpos anti-CCP pode certificar um diagnóstico de AR em 80% dos pacientes . Infelizmente, como todo teste sorológico, um resultado negativo pode não excluir a doença”

Artrite Reumatoide 

Anticorpos Anti Peptídeos Citrulinado Cíclico

A Artrite Reumatoide (AR) é uma doença autoimune Sistêmica comum que pode atingir a 1% das populações. É caracterizada pela inflamação crônica da sinóvia (membranas que recobrem as articulações), que geralmente leva a uma destruição progressiva das juntas e na maioria dos casos à incapacitação e redução da qualidade de vida dos pacientes.  As evidências dos estudos clínicos, nestes últimos anos, sugerem que a terapia agressiva e precoce.

O soro de pacientes com AR contém uma variedade de anticorpos direcionados contra auto-antígenos (substâncias ou componentes próprios do corpo).

O anticorpos mais conhecido é o anticorpo fator reumatoide (FR), direcionado contra o domínio constante de moléculas IgG (a imunoglobulina G). A presença de FR é um dos critérios ARA (American Rheumatism Association) para a classificação da AR.

Embora o teste de FR tenha boa sensibilidade para AR, não é muito específico para a doença, pois também, como pode ser visto no quadro abaixo, pode ser detectado no soro de pacientes com outras doenças reumáticas e inflamatórias e também em uma porcentagem substancial da população saudável, principalmente na terceira idade. Foi demonstrado em diversos trabalhos que anticorpos perinucleares (APF) e anti-queratina (AKA) são muito mais específicos para AR, embora hoje seja conhecido que eles reagem contra a filagrina nativa e passaram a ser tratados como anticorpos anti-filagrina (AFA). Em 1995, Sebbag e cols., demostraram que todos esses anticorpos eram direcionados para a citrulina contendo epítopos. A citrulina é um aminoácido não padrão, pois não é incorporado em proteínas durante a síntese protéica, sendo gerada via modificação pós-translacional de resíduos de arginina pela enzima arginina-peptidil-deaminase (PAD). Em 1998, Schellekens cols. Descobriram que peptídeos lineares contendo citrulina eram muito específicos para anticorpos anti-AR  (aprox.. 96%) em ensaio por método ELISA. Um artigo subsequente demonstrou que variantes cíclicas destes peptídeos, chamados peptídeos citrulinados cíclicos (CCP), eram igualmente específicos para AR, mas com maior sensibilidade que dos peptídeos lineares. Um novo grupo de Peptídeos Citrulinados Cíclicos  (CCP2) foi considerado superior que o CCP original, com maiores sensibilidade e especificidade.

Em 2007, a Liga Européia contra o Reumatismo (EULAR) publicou diretrizes para o diagnóstico precoce de AR, incluindo o Anti-CCP como o principal teste no diagnóstico precoce da Artrite Reumatóide.

Com o teste sorológico do Anti- CCP, 80% ou mais casos de Artrite Reumatóide poderão ser diagnosticados. Em comparação com a pesquisa ou dosagem do Fator Reumatóide, o Anti-CCP é mais específico, resultando em resultados mais adequados.

Os anticorpos anti-CCP já  ocorrem nas fases iniciais da doença, e em muitos casos duvidosos sua detecção pode ter um papel importante na decisão de se iniciar um tratamento específico precocemente, prevenindo severas lesões mais tarde.

 Sintomas iniciais da artrite reumatóide

  • Rigidez das juntas (geralmente pela manhã com duração de aproximadamente 15 minutos);
  • Inchaço das juntas (leves deformações das juntas dos dedos);
  • Cansaço ou exaustão.

 

Sintomas tardios

  • Deformidades em “pescoço de cisne”(curvatura das juntas dos dedos, geralmente similares para uma só direção);
  • Nódulos Reumáticos (protuberâncias avermelhadas na região das juntas);
  • Desvio ulnar dos dedos (curvatura dos dedos em direção ao quinto dedo).

Em pacientes com quadros exuberantes, com todos os sintomas e sinais acima o diagnóstico pode ser realizado sem o auxílio laboratorial. As imagens de Raios-X são típicas.

Entretanto, o diagnóstico é mais difícil em pacientes com sintomas menos pronunciados, principalmente nas fases iniciais da doença. Há uma relação clara entre o diagnóstico precoce da doença e a prevenção das consequências severas da doença.

Os anticorpos anti-CCP podem aparecer alguns anos antes do aparecimento dos sintomas e antes do Fator Reumatóide se tornar positivo.

Comparação do anti-CCP com o Fator Reumatóide:

Casos clínicos

Anti-CCP

Fator Reumatóide

Pacientes com Artrite Reumatóide

80-85%

69-79%

Outras doenças reumáticas

3-8%

10-70%

Pacientes com doenças infecto-contagiosas

1-2%

22-62%

Doadores sãos de sangue

0%

5-10%

Especificidade para Artrite Reumatóide

98%

63%

Sensibilidade para Artrite Reumatóide

98-100%

85-92%

Vantagens do Diagnóstico Precoce

Uma vez instalado o caso de AR, o tratamento é realizado com drogas que inibem o processo inflamatório, que reduzem a dor, com cirurgias que possam minimizar os danos causados pela doença e por fisioterapia. Entretanto, os danos severos e as limitações dos pacientes podem ser evitados pela implantação precoce do tratamento específico, nas fases iniciais da doença, livrando-os das graves consequências da doença. Os primeiros meses da doença são os mais críticos, pois os sintomas são atípicos e um diagnóstico clínico preciso pode não ser realizado e o tratamento médico pode ser iniciado tardiamente.

Dois exames podem ser considerados de extrema importância para o diagnóstico precoce da AR: Ressonância Magnética e a pesquisa de anticorpos anti-CCP.

Em uma grande porcentagem de pacientes os anticorpos anti-CCP aparecem anos antes dos primeiros sintomas da AR.

Porém, no início da doença, quando as primeiros alterações articulações se instalam, a determinação dos anticorpos anti-CCP pode certificar um diagnóstico de AR em 80% dos pacientes e indicar o imediato início do tratamento específico, diminuindo a possibilidade dos efeitos severos da doença. Infelizmente, como todo teste sorológico, um resultado negativo pode não excluir a doença, mas o clínico pode acompanhar o paciente com novos testes ao longo do tempo.

Fonte: Grupo São Camilo Medicina Diagnóstica 

Anúncios

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de Artrite Reumatoide aos 26 anos, enquanto atuava como enfermeira, estava acostumada a lidar com a dor, porém, a dor dos outros. De repente a dor passou a ser minha companheira. Troquei o cuidar assistencial pelo cuidar informacional e escrevi o Blog Artrite Reumatoide, para compartilhar a minha dor, aprendi então, que Dor Compartilhada é Dor Diminuída. Hoje sou “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde e uma eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

24 Comentários

  1. Olá Priscila, tenho 48 anos e tive suspeita de artrite reumatóide, mas os exames deram negativos (FAN, PCR, FR, VHS, TGO, TGP, Waaler Rose, Hemograma com pequenas alterações nos linfócitos e basófilos) e ferro/ferritina muito baixos. Tenho cisto sinuvial e fibroma no punho/mão esquerda e insipientes reações oesteofitárias nos dois joelhos. Os sintomas persistem com rigidez matinal, inchaço em todas as juntas, dores articulares, na coluna (não são agudas) e muitas câimbras e estiramentos (dedos, pés, abdômen, pernas e lateral do dorso), passei a deixar cair pequenos objetos, não conseguindo sustentá-los por muito tempo, tenho dificuldades para levantar do chão sem apoio, tenho fadiga e alterações na visão, com perda de foco e moscas volantes. O médico do convênio não me examinou, prescreveu somente analgésicos e disse que deve ser só stress. Pela sua experiência devo insistir na realização de anti-CCP? Ou os exames que já fiz descartam a AR e devo acreditar que é só stress? Minha preocupação é um diagnóstico errado e ficar sem tratamento correto com agravamento futuro. Obrigada pela ajuda.

  2. Boa tarde Priscila.

    Gostei muito do seu blog e da sua preocupação com os outros portadores da AR.Tenho muitas dúvidas ,em relação á doença. Mas pretendo solucionar amanhã.Cinco anos de médicos que infelizmente não escuta o que o paciente diz. No caso a porcentagem de confirmação do exame CCP na doença é de quanto? Quanto tempo tem este exame?
    Em uma outra oportunidade contarei minha estória.

    Um grande abraço

  3. estou com artrose de quadril bilateral coforme ressonancia lesao do acetabulo e agora meu reomato disse que estou co artrite reomatoide vai trocar meu remedio por metrotexato resultados de sangue todos normais nada de alteraçoes seria o caso do metrotexato

    • Denize, o valor isolado do Anti CCP, não quer dizer muita coisa, é necesário passar em avaliação com o seu reumatologista para que ele faça a interpretação deste valor com o seu quadro clínico e te dê a melhor orientação. Sinto muito não poder ajuda, entre em contato com o seu médico. Boa Sorte!! Dê notícias.

    • Olá, Nilton
      A avaliação isolada do exame de anti-CCP, não confirma ou excluí o diagnóstico de artrite, é importante levar este resultado até um médico reumatologista e passar por uma avaliação médica, desculpe, não poder ajudar. Boa Sorte

  4. Bom dia a todos !
    Espero que estejam todos bem !
    Sou portador de AR já há quase 20 anos e desde 2005 / 2006 estou tomando o Embrel (Etarnecepte), o qual me trouxe excelentes resultados: não tenho dores, não tenho deformações, não amanheço com as juntas doloridas, jogo futebol, pratico Kung Fu há mais de 30 anos, enfim, vida normalíssima.
    Falem com os médicos de voces, quem sabe o medicamento que tomo não serve para voces também ?
    Um grande abraço, fiquem com Deus e Saúde !
    🙂

    • Olá, Marcos
      Qualidade de vida em AR é exatamente isso, a remissão da doença, que é possível através de tratamento adequado e mudanças de hábitos de vida, eu também, estou bem e estou tendo uma vida tranquila 🙂

  5. olá, Pri.há 2 anos fui diagnosticada com AR e Fibro, iniciei o tratamento e a med disse que a doença estava iniciando. agora por não poder continuar pagandoo tratamentofui para o sus e meus exames deram negativo, então o med do sus disse q não tenho artrite. estou muito confuso pois sei o que passei a dois anos atrás e somente a Fibro creio que não seria a causa. mas triste ainda poiso medico nmão considerou nenhum exame que fiz no primeiro tratamento. lhe escrevo pois gostaria de ouvir a opinião de quem sabe o que é sofrer com artrite. estou com medo de voltar a sentir todas asdoresantigas que eram muito piores das que sinto hoje.

  6. Boa tarde. Desde janeiro de 2011 comecei uma investigação junto a reumatologistas. Meu fator reumatoide deu positivo. Tenho muitas dores nas costas, cotovelos, joelhos e bacia. Acordo com rigidez e alguns dias a dor é quase incapacitante. Pra piorar a situação, no inverno, também tenho a sindrome de raynaud. Meus dedos incham e inflamam até partir. Enfim, comecei a busca agora e preciso fazer o exame Anti CCP e vou a luta pra conseguir ele pelo plano. As chances de ser AR são grandes, espero descobrir logo para poder tratar Parabéns pelo BLOG..

  7. Fui diagnósticado com AR, espondiloartrite soronegativa, além de muita fadiga, sinto fortes dores na costas e quadril, além do mais mina taxa de ferro e muito alta, em torno de 1200, foi detectado HLA B27 por PCR, depois disso apareceu mais uma taquicardia e hoje tomo remédio para o coração, atualmente estou sem médico, pois o meu se descredenciou do meu plano de saude, e estou procurando um bom reumatologista. até hoje niguém descobrio o porque dessa taxa de ferro altissíma.

  8. sou portadora de artrite reumatide positiva.tenho sequelas inreversiveis em punhos ,maos dedos,pes.minha coluna tambem foi afetada.meus punhosnao mexe.fasso uso de orteses que fasso na aacd.tomo enbrel,arava,corticoides assim amenisa um pouco as dores.mas graças a Deus que colocou um medico muito bom no meu caminho.ele e alem de tudo um amigo,me entende converssa comigo me ouve.sempre esta fasendo com que eu sofra menos.pois quando comecei otratamento estava muito mal fiquei oito meses sem andar..hoje sou outra na medida do possivel .estou afastada do trabalho nao sou aposentada tenho sempre que faser pericia .fasso tudo dentro do meu limite.as veses levanto sem conseguir nem andar.hoje minha familia me entende e sabe que nao sou como antes,pois nem sempre fui assim .depois dos meus 27anos que conecou.mas procuro encarar tudo com muita fe em Deus e vivendo sempre o hoje e deixando que o a manha se encarega do amanha.fiquem com Deus

Se você gostou dessa publicação, nos incentive a continuar, deixe seu comentário!