Espondilose – Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas

Espondilose é o termo geral utilizado para definir alterações degenerativas inespecíficas da coluna vertebral. Estas alterações são mais comuns nas porções relativamente móveis, como as regiões cervical e lombar, e menos frequentes nas porções relativamente rígidas, como a região dorsal. Suas causas ainda não estão bem estabelecidas, mas idade é o principal fator de risco. As alterações degenerativas ocorrem no disco vertebral, nas articulações zigoapofisárias e uncovertebrais e nos corpos vertebrais.


CIDs- 10 Doenças contempladas neste protocolo de tratamento:

  • M47.1 Outras espondiloses com mielopatia
  • M47.2 Outras espondiloses com radiculopatia
  • M47.8 Outras espondiloses

Lista de Medicamentos

  • Paracetamol: comprimidos de 500 mg e solução oral de 200 mg/mL
  • Ibuprofeno: comprimidos de 200, 300 e 600 mg e solução oral de 50 mg/mL

Medicamentos disponíveis nas farmácias básicas do Sistema Único de Saúde


Administração do medicamento

  • paracetamol: administrar, por via oral, 500 mg até 6 vezes ao dia.
  • ibuprofeno: administrar, por via oral, 600 mg até 3 vezes ao dia.

Monitorização: Controle de Segurança de uso dos medicamentos

Os doentes de espondilose cervical, dorsal e lombar devem ser avaliados periodicamente de acordo com a intensidade dos sintomas. Naqueles que se encontram em uso de AINE, devem ser consideradas queixas gastrointestinais, pressão arterial sistêmica e sinais de edema em todas as consultas. Se houver suspeita de perda de função renal associada ao uso de AINE, dosagens de creatinina e ureia séricas deverão ser solicitadas. Em alguns casos a dose poderá ser reduzida ou até suspensa, sendo preferido o uso do paracetamol em detrimento do anti-inflamatório. O uso do paracetamol por longos períodos é mais seguro que o anti-inflamatório e despensa monitorização laboratorial.


Critérios de Inclusão e Exclusão

Serão incluídos neste Protocolo os pacientes com quadro clínico doloroso cervical, dorsal ou lombar, com padrão mecânico, na presença ou não de mielorradiculopatia.

Serão excluídos os pacientes com contraindicação ou intolerância a medicamento especificado neste Protocolo.

Fonte: Portal Ministério da Saúde

Social Media
Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!