Especialista explica o papel da fisioterapia na prevenção e tratamento da osteoporose

Cerca de 10 mi brasileiros sofrem com a doença; Segundo Fundação Internacional de Osteoporose, casos devem aumentar 32% até 2050

Fragilidade, costas curvadas, quedas e fraturas. Essas são algumas das características da osteoporose, doença provocada nos ossos que afeta cerca de 10 milhões de brasileiros, sendo os principais deles idosos e mulheres.

Ela diminui a massa óssea e causa fragilização a ponto de causar fraturas por simples movimentos ou até com o peso do próprio corpo. Apesar disso, a maioria dos idosos que possuem osteoporose não sabem, como revelou um estudo realizado pelo Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP, que analisou 330 pacientes internados com fratura de fêmur.

O fisioterapeuta da clínica Fisio&Forma, Kalil Zipperer, explica que isso ocorre porque a doença dificilmente apresenta sintomas. “Geralmente, o paciente só descobre quando sofre quedas provocadas pela fratura”, diz o especialista, que aponta redução de estatura e alteração postural grave da coluna como indicativos da doença.

Para ele, a falta de Sintomas no início da doença é uma das razões pela qual as pessoas devam realizar as avaliações preventivas – principalmente quem já tem predisposição para desenvolver a doença. Na fisioterapia, por exemplo, o especialista explica que a descoberta surge pelo reconhecimento de alterações na massa óssea e avaliações posturais e biótipo físico.

Segundo Zipperer, o procedimento comum entre fisioterapeutas é orientar o paciente a procurar ajuda médica especializada, além de também orientá-lo sobre a possibilidade do tratamento fisioterápico. Ele explica que a fisioterapia pode ser eficiente tanto na prevenção como no tratamento da enfermidade.

“De forma preventiva, auxilia com orientações e trabalhos direcionados para prevenir quedas e ajuda na manutenção da massa óssea e muscular. Como tratamento, há exercícios que visam diminuir a perda da força muscular, além de exercícios com nível de impacto controlado para ajudar na absorção do cálcio” explica.

Em casos de fraturas decorrentes da osteoporose após o tratamento médico, que em alguns casos é necessário cirurgia para correção da fratura, o tratamento específico com fisioterapeutas é fundamental para a reabilitação da lesão e manutenção do quadro geral. No entanto, Kalil aconselha que o paciente faça um acompanhamento multidisciplinar, que inclui também médico, nutricionista e educador físico.

“A osteoporose tem cura e deve ser tratada com seriedade, com a ajuda da equipe multidisciplinar e também com a participação do paciente. Esse trabalho é feito a longo prazo, para que haja alguma mudança significativa no exame de densitometria óssea”, diz,

Para que o tratamento seja potencializado, Zipperer aconselha que o paciente mude seus hábitos de vida, como exemplo, o abandono de vícios como o cigarro e a utilização de medicamentos sem prescrição médica. Além disso, recomenda a prática de atividades físicas como caminhada em esteira com controle de de impacto, exercícios de fortalecimento e exercícios no ambiente aquático.

Sobre Kalil Zipperer

Dr. Kalil Zipperer é fisioterapeuta e proprietário da Clínica Fisio&Forma, coordenador do CER II (Centro Especializado em Reabilitação) reabilitação física e auditiva de Diadema, coordenador do NAI (Núcleo de Avaliação Intelectual) da prefeitura municipal de Diadema.

Coordenador do Grupo Técnico da Pessoa com Deficiência dos 7 municípios do Grande ABC, membro do Grupo Condutor da Pessoa com Deficiência na Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo.

Comentários
if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));
%d blogueiros gostam disto: