Dor psicológica

Quem nunca ouviu isso? Atire a primeira pedra!!!
Não existe nada mais irritante, que ouvir “isso pode ser psicológico”.
Acredito quet odos nós já ouvimos algo parecido uma vez na vida.
A dor é algo subjetivo, nós a sentimos, podemos tentar descrevê-la, porém não conseguimos através de palavras provar o quanto dói e como dói. Isso muitas vezes é uma barreira quando chegamos no consultório médico, porque falamos da dor, mas não podemos provar que temos a dor, ou pelo menos, não podíamos, pois agora existe exames que tem a capacidade de apontar onde dói.
Existe um exame chamado “Infrared” que significa imagem infravermelha, conhecido também como “Termografia” é um exame de imagem que através de luz infravermelha se converte em vermelho, onde apresenta alterações, como a dor, atividade inflamatória, por exemplo. Infelizmente essa técnica não esta disponível nas unidade de saúde pública do Brasil, mas é possível realizar este tipo de exame em hospitais da rede particular, a últim avez que consultei cada membro custava aproximadamente R$ 600,00.
Até que ponto devemos provar a nossa dor? Eu penso que a dor é algo que deve ser respeitado, eu nunca duvido da dor de ninguém, às vezes o que dói muito em mim, pode doer pouco em você, tudo depende da sensibilidade, da situação, enfim da pessoa.
Mas ouvir de médicos reumatologistas que a dor é psicológica é sinceramente frustante, esperamos que nossos reumatologistas compreendam a nossa dor, eles não podem ver a dor, mas podem através de exame físico e de imagem certifica rque existe atividade inflamatória e consequentemente dor.
Eu, como muitos de vocês, já fui encaminhada ao psicólogo e recentemente ao psiquiatra, então, no psicólogo foi muito engraçado, eu chegava e passávamos uns 40 minutos conversando, mas o meu psicólogo expressava um olhar de “pena” tão grande que aquilo me incomodava, até que um dia disse pra minha mãe, quenão iria mais no psicólogo porque estava achando que eu estava fazendo terapia nele, além de que ele, indicou que eu fizesse hipnose, nada contra quem faz hipnose, mas imagino que a hipnose não iria me tirar a dor, além de que achava que aquela terapia psicológica estava me deixando era doida e irritada. Não existe nenhum sentimento pior do que perceber que as pessoas sentem “pena” da gente, isso me deixa enfurecida, abandonei a terapia com meu psicólogo, ele era legal, mas minha dor era real e não acreditava que na terapia deixaria de sentir dor.
Agora há poucos dias, fui encaminhada ao psiquiatra, um médico reumatologista disse à minha mãe que meu caso é psiquiátrico, ele foi tão corajoso que disse isso pra minha mãe, não para mim. E sigo então com dor psicológica, com erosão óssea no quadril psicológica, com derrame articular em ambos os tornozelos e quadris também psicológicos e acredito que o meu psiquiatra vai me dar uma “fórmula secreta que cure minha AR em atividade psicológica”. Mas espero que o psiquiatra realmente reverta a minha artrite, porque estou no limite da tolerância para “dor psicológica”.
O que seria dor psicológica? Eu compreendo que dor psicológica é aquela dor que a gente inventa para ganhar algum benefício. Agora vamos pensar, que benefício a doença trouxe para nossas vidas?
O quanto custa a doença na sua vida? Eu adoraria gastar o que gasto de remédios, comprando doces e viajando. Mas não, por que eu tenho dor psicológica eu compro remédios, remédios pra dor psicológica.
Fico pensando nos psiquiatras e psicólogos que nos recebem nos consultórios enfurecidas, cheias de dores emocionais, causadas pelo fato de termos a nossa dor ignorada e irresponsavelmente apelidada de “dor psicológica”.
E o pior de tudo é que levamos provas clínicas de derrame articular, e rosãoóssea, perdas de tecidos articulares. Por isso, não se sinta diferente quando alguém te falar que é psicológico, acredite em você, naquilo que você sente, pois nós, somente nós sabemos o quanto dói, como dói e principalmente o impacto dessa dor na nossa vida.
 As vezes me pego sonhando, como estaria minha vida hoje, se não tivesse ficado doente… penso tantos $$$$$$$ que seriam diferentes, nos meus planos de vida, hoje eu estaria fazendo doutorado, lecionando em uma grande universidade, teria feito algumas viagens pra fora do Brasil com meu filho, teria uma vida profissional bem sucedida e um padrão de vida melhor.
Nossa… chega dá tristeza em pensar, que tudo mudou, as coisas tomaram outro rumo, meu dinheiro eu deixo boa parte na farmácia, no convênio médico, na fisioterapia, na hidroterapia,ai, ai, chega doer, pensar em tudo que a doença mudou e me tirou. Mas sabe onde me consolo? Pensando no quanto a doença me fez ser uma pessoa melhor, hoje eu sei valorizar cada sorriso do meu filho, cada momento pra mim é único, meu dia é um novo dia, tudo bem que quando vou levantar da cama pela manhã pareço um robô em andar sincronizado, mas agradeço a Deus que posso levantar robotizada, mas levanto da cama e só volto a deitar quando estou realmente com muita dor ou na hora de dormir.
E sigo levando a dor psicológica bem real no dia-a-dia, quem sabe um dia, encontramos um detector de dor real. Eu só queria falar pra vocês, que eu já ouvi que “tudo é psicológico” e não se sintam sozinhos, todos nós já ouvimos isso, e quando nossos exames pulam nas mãos deles, nos deparamos com semblantes sem graça, que tem que aceitar que existe de fato uma dor.
“Ainda encontraremos a fórmula contra a dor psicológica” só espero que nossas articulações suportem esperar esse dia chegar, porque se não, só nós restará as próteses.

minhas irmãs…
Estou um pouco ausente, semana passada foi casamento da minha mãe e essa semana minha irmã (grávida) ficou hipertensa e foi hospitalizadaa, minha mãe em viagem, Bia no Hospital, tive que ocupar o lugar de Vó substituta, e o Arthur ainda não nasceu. Mas estou por aqui e na medida do possível vou respondendo a todos.
Ah dia 28 tenho psiquiatra, contarei pra vocês, minha artrite esta em atividade,  meus tornozelos continuam os mesmos, minhas dores estão intensas, mas o que mais me incomoda é a febre de final de tarde que vem acompanhada de uma fadiga chata sem contar a rigidez matinal  leva de 2 a 3 horas para passar o efeito robotizado, mas semana que vem minha reumato está de volta e com o retorno dela a minha esperança de colocar essa artrite pra dormir ou pelo menos para doer menos, como diz minha mãe “estou soltando vaporzinho”, ela diz isso, porque só de chegar a meus lado é possivel sentir o calor das minhas articulações. Mas como nada é eterno, essa crise vai passar também.

Casamento da minha mãe, ganhamos 08 irmãos de uma só vez. Os 8 João e as 3 Maria, falta na foto a minha irmã Mara que odeia fotos. Com a união das duas famílias, entre irmãos, cunhadas e sobrinhos somamos + de 35 pessoas!!!
Creia, somos normais e nossas dores reais!
Beijinhos da Pri!!!
Anúncios

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de Artrite Reumatoide aos 26 anos, enquanto atuava como enfermeira, estava acostumada a lidar com a dor, porém, a dor dos outros. De repente a dor passou a ser minha companheira. Troquei o cuidar assistencial pelo cuidar informacional e escrevi o Blog Artrite Reumatoide, para compartilhar a minha dor, aprendi então, que Dor Compartilhada é Dor Diminuída. Hoje sou “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde e uma eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

12 Comentários

  1. oi Priscila! meu nome e Lourdes,eu tbm sou portadora de AR. a sua história me comoveu…
    eu tbm já passei pelas coisa q vc passou + hoje eu agradeço a Deus por cada dia que Ele me concede aqui na terra, porq só Ele sabe a dor que nós sentimos

  2. Oi.Pri, muito bom conversar com vc.
    Hoje vou fazer uma "pulsão" (como chamam os médicos)no meu joelho, pois ele está quase do tamanho de um abacate grande, já fiz em um joelho e melhorou bastante,mas dói tanto..já estou com frio na barriga, só de pensar, mas se é pra melhorar, vamos em frente…
    bjos..até mais..

  3. Oi, Cindy ..

    Vai sim, a terapia é legal + temos que encontrar um psicologo ou psicologa que tenhamos sintonias, eu já fiz terapia + eu e ele (psicologo) não tivemos muita afinidade sabe, eu ficava ouvia ele + era algo vazio… Agora estou voltando a terapia minha mãe quer que eu faça, quando começar eu venho aqui postar como esta sendo ..Se vc puder poste também, é legal trocar experiências.

    Eu aprendi a viver com a minha dor e confesso preciso aprender a não ter dor depois de um dia ruim, se fico nervosa por mais que eu não queira, no outro dia dói até o cabelo. Minha mãe sempre diz, você já tem problema demais evite isso, evite aquilo, se preserve + como toda filha algumas vezes eu faço diferente e quebro a cabeça, choro e no outro dia to acabada rsrs ..

    Vamos nos falando.

    Bjs.

  4. Oi,Cindy

    Não deixe de ir ao psicologo, isso é um fato o nosso humor interfere na intensidade da dor. Quando eu passo por uma situação de stress, fico triste, contrariada, decepcionada no outro dia, amanheço destruída, infelizmente isso não tem como evitar.

    A única forma de evitar seria não ficar triste, não ser contrariada, não se decepcionar e nunca ficar stressada + isso não depende só da gente né..

    Ir ao psicologo nos ajuda a administrar isso na nossa vida e diminuir o impacto das emoções sobre nós.

    Bjão

  5. Olá.. Tenho 23 anos e há quase dois anos tenho artite.. no meu caso associo muito a dor ao meu "estado" psicológico pois sempre que estou muito nervosa é quando mais sinto dor ai não sei se a dor é por causa do nervoso ou se o nervoso é por causa da dor…
    Achava que precisava de um psicólogo, mas depois de ver os comentários estou mudando de idéia…

  6. Oi, Flavia ..

    Nem me fala em chá … ja apareceram cada chá escabroso que dava até medo.

    Essa da caneta foi cruel.

    Sabe que penso, que tem gente que pensa que é de aço, pedra.. algo do tipo, ou que nunca vai ficar doente, nunca vai depender de outra pessoa. Como pode uma pessoa não ter sensibilidade nenhuma.

    Para escrever tem uma dica, os adaptadores de caneta deixam a escrita menos dolorosa.. veja em
    http://www.mnssuprimentos.com.br

    bjs..

  7. é Pri paso por isso no trabalho e na minha familia,tenho uma tia q ate faz cha´s calmante qdo falo que estou sentindo tanta dor que nao consigo identificar onde. E o pior foi no meu trabalho,que avisei minha supervisora que nao podia escrever aquele dia e pedi pra planejarmos outro dia e ela gritou comigo,chega ,vc vai escrever agora.EU ESTOU MANDANDO,isso e bobagem e eu tive q segurar na caneta mesmo com as lagrimas caindo.

  8. Eu nunca recebi diagnóstico de dor psicológica pelos reumatologistas em que passei, mas em momentos em que tive crises muito fortes e tive que ir ao Pronto Socorro, já recebi… Inclusive um médico uma vez insinou que eu estava lá só para poder tirar uma folga do trabalho… acho que quando os médicos falam em dor psicológica, na verdade eles é que são doentes, para mim uma pessoa que fala isso só pode ser um psicopata, que não tem nenhuma empatia com o próximo!

Se você gostou dessa publicação, nos incentive a continuar, deixe seu comentário!