A dor nas costas é responsável por cerca de 160 mil afastamentos anuais no Brasil: como prevenir?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, 85% da população terá problema de coluna em algum momento da vida. Sedentarismo, excesso de peso em bolsa e mochila e até mesmo a má postura estão entre as principais causas desse mal, que afeta a qualidade de vida e contribui para a ausência temporária das pessoas no ambiente de trabalho. Pesquisa da Previdência Social indicou que a dor nas costas é responsável por cerca de 160 mil afastamentos anuais. Para a médica especialista em dor Denise Katz, esse mal, que afeta a qualidade de vida, e é importante causa de ausência no trabalho e na escola, pode ser alterado com pequenas mudanças no estilo de vida, mas recomenda: quando o problema se torna crônico, a orientação de um especialista e o tratamento com o medicamento adequado são a melhor opção. Em casa ou no trabalho, há formas de minimizar o problema:

» Faça pausas durante as atividades

O corpo humano não foi feito para permanecer por muito tempo em uma mesma posição. A falta de movimentação faz com que os músculos doam. Por isso, é recomendado fazer pausas nas atividades, em diversos períodos do dia, para se alongar.

» Diminua a quantidade de peso
Bolsas e mochilas devem conter no máximo 10% do nosso peso e o ideal é distribuir essa carga, para não sobrecarregar apenas uma parte do corpo.

» Ajuste de postura
A postura incorreta pode provocar dores e lesões nas costas. Para manter a boa postura, mesmo que sentado, é preciso estar sempre com as costas eretas. Tente também jogar os ombros para trás e evite cruzar as pernas.

» Pratique atividade física
Exercícios que promovem o alongamento, como os de equilíbrio e a natação, aliviam as dores nas costas. O ideal é realizar a prática diariamente por, no mínimo, 30 minutos e acompanhado por profissionais de educação física.

“Medidas como essas amenizam o problema e contribuem para que as dores nas costas não se agravem. No entanto, apenas um tratamento com especialista trará qualidade de vida por longo prazo. Por isso, busque orientação médica”, aconselha Denise Katz.

Fonte: Uai

Social Media
Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!