A dor e as festas de fim de ano: O que fazer?

Está chegando a mais um fim de ano. Mais um ciclo que se completa em nossas vidas. É tempo de refletir sobre o ano que vivemos, sobre o que sentimos e planejar e desejar que o ano de 2018 seja muito melhor. Para muitos é tempo de festa, aproveitar as comilanças da ceia e ganhar muitos presentes no natal. Mas e para uma pessoa que convive com uma doença crônica? O que é esperado? Muitos já evitam durante o ano todo festas e comemorações muitas vezes pelo fato de não gostar de “dar trabalho” ou para não ter que ouvir as clássicas frases “você sente dor todos os dias?”, ” isso é falta de ter o que fazer menina!”. Nas festas de fim de ano não é diferente. O clássico “é pavê ou pra cumê” do tiozão da família perde lugar para ” A vó vai fazer um chazinho para você que vai acabar com o seu sofrimento”, “Ah mais minha vizinha também tem isso e está ótima”.

Enquanto muitos desejam para o próximo ano amor, o carro do ano, aquela promoção no trabalho, a pessoa com doença crônica só deseja que seja encontrada a cura para sua doença, ou que exista algum medicamento milagroso que tire essa dor e sofrimento todo da sua existência. Pois conviver com a dor todos os dias é desgastante e  tira o foco de tudo na vida.

Na maioria das vezes essa pessoa é a mãe, a avó da família e o esperado sempre é um dia de festas com muita comida, bebida e música, afinal é natal tempo de celebrar o nascimento de Jesus Cristo. Mas a realidade é bem outra. A limitação e dor muitas vezes impede a pessoa até de levar o garfo à boca para se alimentar, imagina então preparar toda uma ceia e a casa para receber os familiares e amigos? Se torna um pesadelo para quem sofre com dores diárias. Mas como lidar com tudo isso sem ser a pessoa chata da família que só reclama e não gosta de nada? Como explicar e fazer as pessoas entenderem que você precisa de ajuda e colaboração nesse momento?

Há certos pontos que devem ser esclarecidos à partir do momento que sua casa é a escolhida para as festividades de fim de ano:

  • Sua casa suas regras: As pessoas devem ter consciência de que você é uma pessoa com limitações, portanto precisa da colaboração de todos para os preparativos.
  • Nada de deixar para amanhã: Sujou, limpou, nada de deixar aquela pilha de louças para o outro dia, pois vai acabar sobrando para você a bagunça.

Por outro lado também há algumas dicas que podem ser valiosas para que você não se sobrecarregue e ainda tenha uma noite de festividades tranquila.

  • Festa estilo americano. Cada pessoa leva um quitute doce ou salgado e assim você monta uma ceia completa sem se desgastar na cozinha.
  • Festa fora de casa também está valendo. Você pode escolher passar as festas na casa dos seus parentes ou programar com a família um jantar fora, assim você se preserva e tem a opção de ir embora no momento que não se sentir mais bem ou confortável.
  • Limpeza programada. Você pode combinar de cada um contribuir para a contratação de uma faxina no pós festa, assim todos podem descansar no dia seguinte, principalmente você.
  • Não esqueça o tratamento. Programe a aplicação ou ingestão do seu medicamento para que você não se esqueça ou tenha de faze-lo no meio da festa. Se você for ingerir bebidas alcoólicas não deve utilizar medicamento no dia, pois além de sobrecarregar o fígado, e a medicação não ter eficácia, você pode ter efeitos colaterais desagradáveis.

Independente de como você vai se organizar, o mais importante é estar junto das pessoas que você ama, então aproveite cada momento, sem se preocupar em agradar todos. Quem ama você quer ver você bem e estar ao seu lado, independente das suas limitações. Você deve preservar sua qualidade de vida e suas articulações acima de tudo!

Você tem alguma dica que possa ajudar? Comente aqui!

Texto por Dayane Ferreira de Melo

Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!