Dia Nacional da Conscientização da Psoríase alerta para cuidados com a doença

Caracterizada pelo aparecimento de lesões avermelhadas e descamativas, a Psoríase é uma doença autoimune que afeta a pele, principalmente cotovelos, couro cabeludo, joelhos e unhas.

O Dia Nacional de Conscientização da Psoríase é celebrado no dia 29 de outubro. Cerca de 10% dos pacientes com psoríase são acometidos com artrite psoriásica, uma doença inflamatória que acomete as articulações, gerando dor, e a pele, provocando lesões da psoríase.

A reumatologista Laiza Hombre Dias explicou que, na maioria das vezes, o paciente já tem a psoríase quando surgem as dores nas juntas.

“Raramente a artrite surge primeiro, ou os dois sintomas aparecem juntos. Qualquer articulação pode ser afetada, porém as mais comuns são joelhos, tornozelos, pés e mãos nas articulações distais dos dedos, próximo às unhas.

Estes locais ficam dolorosos, inchados, quentes, vermelhos e com dificuldade para movimentar. E dependendo da região afetada, o paciente terá dificuldades para caminhar e realizar atividades básicas diárias”, esclareceu a médica.

Além do tratamento com medicamentos, atividade física e boa alimentação, a exposição ao sol logo pela manhã ou ao final da tarde pode ajudar a controlar as lesões.

“Luz solar ajuda muito nas lesões psoriásicas, inclusive sendo usada por dermatologistas no controle das lesões sob a forma de fototerapia. A radiação possui efeitos anti-inflamatórios sob as células da pele”, explicou a reumatologista Laiza.

Pacientes também devem estar atentos à alimentação, pois doces e frituras podem piorar a inflamação.

A artrite psoriásica pode se apresentar de diferentes formas. A mais comum é chamada de poliarticular, que afeta várias juntas de forma simétrica (dos dois lados do corpo), semelhante aos sintomas da artrite reumatóide.

A forma oligoarticular compromete poucas articulações, geralmente em membros inferiores. Quando associada com a psoríase nas unhas, as juntas distais dos dedos inflamam.

A reumatologista alertou, ainda, que fumo, álcool, traumas físicos e algumas medicações como beta bloqueadores, lítio e aspirina podem piorar a doença.  “Além disso, a artrite psoriásica está associada a diversas doenças que aumentam o risco de infarto e acidente vascular cerebral (AVC), como hipertensão, diabetes e dislipidemia. Por isso, é fundamental o controle de todos estes fatores”, informou a especialista.

A doença pode afetar pessoas de qualquer idade, porém é mais comum a partir dos 30 anos. O tratamento deve ser individualizado sendo feito com uma equipe multidisciplinar formada pelo reumatologista, dermatologista, fisioterapeuta, educador físico, psicólogo, entre outros.

Fonte: Folha Vitória

Social Media

Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

×

Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!