Cibele de Paula Nobre Almeida

Em outubro de 2010 comecei com dores nos polegares, e saiu um cisto em cada mão, a partir dai comecei a ter dificuldades para fechar botões de calça, colocar sutiã e pentear os cabelos. Achei que pudesse ser LER, pois, trabalhava com digitação a 14 anos, fiz USG das mãos, tomei anti-inflamatórios e nada da dor melhorar, pelo contrário era só o começo. Aí comecei a ter dores em todos os dedos das mãos, amanhecia todo dia formigando e rígidos também tinha dores nos ombros e cotovelos, cada vez mais forte, na sequência dores insuportáveis nos dedos dos pés, e joelhos.No início faltou coragem de contar para meu esposo, e familiares, pois nem eu mesma acreditava no que estava me acontecendo, e tinha medo deles acharem que eu estava inventando. Não conseguia sentar em sofás, camas, o sentar e levantar era demais dolorido, parecia que faltava lubrificação nas articulações, eu gemia, chorava de dores… comecei a inchar muito, já não abaixava mais, se derrubasse algo no chão não pegava, até alguém chegar e me ajudar, adaptei torneiras da casa, e contei com a ajuda do meu esposo, filho, sogra, e familiares. Até para me virar na cama meu esposo me ajudava. Passava com ortopedista e outros especialistas e tratava com corticoides, que só me faziam mais mal, até que passei numa reumatologista, que mal olhou na minha cara, não pediu exames e me passou remédio para fibromialgia, me disse que não era AR, eu só dormia e nada de melhorar, ai não aguentando mais as dores… perdendo total a autoestima, resolvi procurar outro reumatologista, só de contar a ele tudo que se passava comigo, ele já falou na consulta é AR, começamos o tratamento antes dos exames, e já comecei a melhorar com os remédios q ele passou… fiz os exames, e no meu caso é negativo no sangue, é somente inflamação nas articulações. Tomo semanalmente metotrexato e ácido fólico, e outra fórmula a base de meloxicam, em casos extremos das dores tramal. Levei um ano nisso tudo, até descobrir que era AR. Moro em Votorantim, e me trato numa clinica em Sorocaba, a 4 anos com o mesmo reumatologista Dr. Eduardo Luiz. Vivo um dia após o outro, tem dia que com muita dor, outro com pouca dor, e dias sem dores! No momento estou em crise com as dores. Fiz novos exames, e vou leva-los ao médico. Espero melhorar… Mas agradeço a Deus por minha vida…  pelo apoio do meu esposo, e filho de 13 anos, pois eles, tem muita paciência comigo, nesses dias de crise também altera muito meu humor. Obrigada por essa oportunidade!

 

Abs, Deus Abençoe a todos!!! Cibele 😉

Depoimento6

Cibele de Paula Nobre Almeida, tem artrite reumatoide, asma respiratória e hipotireoidismo, atualmente está com 36 anos, o diagnóstico foi a 4 anos atrás aos 33 anos é casada teve filho antes da doença e não trabalha fora de casa.

 

Jornalista
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Jornalista Grupar EncontrAR
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

1 Comentário

Olá, deixe um comentário!